Vendaval causa destruição em Corumbá

Um ciclone formado por ventos que chegaram a 100 quilômetros por hora, segundo o Serviço de Meteorologia do Destacamento de Proteção ao Vôo da Força Aérea Brasileira, fez vários estragos em Corumbá, centro do Pantanal de Mato Grosso do Sul, e feriu pelo menos 25 pessoas. O temporal começou na noite de sábado, quando se iniciaram as atividades da décima oitava festa do peão boiadeiro de Corumbá, que terminaria no domingo, mas que acabou sendo cancelada. Foi completamente destruído o tatersal, onde eram realizados bailes; barracas de comidas e bebidas foram derrubadas. Um camarote desabou. No parque de diversões montado no local da festa, alguns brinquedos também sofreram danos. Segundo o coordenador do evento, Luís Alves, os ferimentos não chegaram a ser graves nas pessoas que procuraram o Pronto Socorro da cidade. O maior prejuízo foi sofrido pelo circo Kroner, instalado desde a semana passada no campo do Roseiral, no bairro Dom Bosco, distante da festa dos boiadeiros. Alexandre Clay, dono do circo, calcula a perda em R$ 200 mil. "Só a lona, que se perdeu por inteiro, vale R$ 150 mil", disse.No momento do vendaval os animais ficaram irritados e tiveram que ser removidos às pressas. Alguns, menores, como camelos e pôneis, foram abrigados nos quintais e garagens das casas vizinhas. Elefantes e hipopótamos tiveram que ser colocados nas jaulas das carretas onde são transportados. Nenhum deles fugiu. O Corpo de Bombeiros de Corumbá acredita que serão necessários pelo menos cinco dias para colocar a cidade em ordem, pois muitas árvores caíram sobre casas, nas ruas centrais, entre outras ocorrências que serão atendidas durante a semana.

Agencia Estado,

21 de outubro de 2001 | 22h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.