Vendaval danifica 1,5 mil casas no RS e fere 14 no PR

Uma série de vendavais danificou cerca de 1,5 mil casas em diversas regiões do Rio Grande do Sul entre a tarde de segunda-feira e a madrugada de ontem. A situação mais grave é a de Itaara, município de 5 mil habitantes localizado na região central do Estado, a 320 km de Porto Alegre, onde cerca de mil residências tiveram seus telhados furados por pedras de granizo do tamanho de laranjas ou parcialmente arrancados por rajadas de vento de 70 km/h.

Elder Ogliari, O Estadao de S.Paulo

09 de setembro de 2009 | 00h00

O prefeito de Itaara, Cândido Moraes (PMDB), descreveu o temporal como "algo nunca visto" e decretou situação de emergência. Prédios públicos como a prefeitura, escolas e creches também sofreram danos. Os serviços do único posto de saúde da cidade, destelhado, foram transferidos para a igreja.

Em Victor Graeff, cidade de 3,3 mil habitantes do noroeste do Estado, a 255 km de Porto Alegre, a ventania arrancou a cobertura de cerca de 200 casas, derrubou postes e árvores em vias urbanas e destruiu parcialmente a praça central.

Na tarde de segunda-feira, o Estado já havia sido atingido por vendavais que deixaram 120 casas destelhadas em São Gabriel, 50 em Arroio Grande, 50 em Frederico Westphalen, 40 em Santa Maria e 15 em Bagé. No fim da tarde de ontem, a Defesa Civil calculava que cerca de 300 pessoas ainda estavam desalojadas.

PARANÁ

Os fortes ventos, acompanhados de chuva e queda de granizo que atingiram o Paraná entre a noite de segunda e ontem deixaram pelo menos 14 pessoas feridas em Primeiro de Maio, a cerca de 450 km de Curitiba. Elas participavam de um show em um parque quando foram surpreendidas pelo vendaval.

Os ventos duraram cinco minutos e provocaram a queda do palco, destruição de barracas e arrancaram algumas árvores pela raiz. Cinco carros foram danificados.

De acordo com a Defesa Civil do Estado, em alguns locais os ventos ultrapassaram 100 km/h. Segundo levantamento divulgado às 16 horas, a destruição afetou aproximadamente 7 mil pessoas em 39 municípios. Cerca de 1,8 mil edificações foram atingidas, principalmente com destelhamento. Em Santo Antônio do Sudoeste havia 82 pessoas desabrigadas. Em Curitiba, apesar da forte chuva, não houve alagamento.

Algumas cidades ficaram sem energia elétrica nem água. A expectativa da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) era de normalizar a distribuição até a noite de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.