Almir Guerreiro
Almir Guerreiro

Venezuela enviará funcionários a Pacaraima para garantir integridade de seus cidadãos

Em nota, governo venezuelano expressa 'preocupação' com os ataques e a expulsão de imigrantes dos alojamentos

Lu Aiko Otta e Mariana Haubert, O Estado de S.Paulo

19 Agosto 2018 | 12h52

BRASÍLIA - Em nota, a chancelaria da Venezuela informou neste domingo, 19, que instruiu o pessoal de seu consulado em Boa Vista (RR) a deslocar-se "de imediato" para Pacaraima, "para constatar in situ o status da situação e velar pela integridade dos cidadãos venezuelanos na zona". Ela informa, também, haver entrado em contato com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil "a fim de solicitar as garantias correspondentes aos nacionais venezuelanos e tomar as medidas de resguardo e segurança de suas famílias e pertences."

O governo venezuelano expressa "preocupação" com as informações de ataques a venezuelanos e sua expulsão de alojamentos. Segundo a nota, esse fato "violenta normas do Direito internacional" e vulnera os direitos humanos dos migrantes.

Na nota, a chancelaria afirma estar disposta a coordenar-se com "ações que as autoridades brasileiras considerem necessárias" e advoga pelo respeito do direito internacional sem discriminação. Ao mesmo tempo, "rechaça a instrumentalização de uma lamentável situação de violência alimentada por uma perigosa matriz de opinião xenófoba, multiplicada por governos e meios a serviço dos inconfessáveis objetivos do imperialismo."

O presidente Michel Temer convocou para a manhã deste domingo uma reunião no Palácio da Alvorada para discutir a situação na fronteira com a Venezuela, depois dos tumultos ocorridos neste sábado, quando abrigos improvisados de migrantes foram destruídos e vários deles voltaram a atravessar a fronteira. O governo pretende enviar 60 homens da Força Nacional de Segurança para o local. Eles deverão seguir nesta segunda-feira, 20, mas já estão de sobreaviso.

Participam da reunião os ministros da Defesa, Joaquim Luna e Silva, da Segurança, Raul Jungmann, da Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, da Educação, Rossieli Soares, de Minas e Energia, Moreira Franco, e o secretário-geral das Relações Exteriores, Marcos Galvão. 

Segundo fontes, é esperada também a participação do ministro do Planejamento, Esteves Colnago. O governo do Estado pede reforço nos recursos federais para atender à população e aos imigrantes. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.