Ventos ainda podem chegar a 72 km/h no litoral do RS e SC

Ciclone que atingiu o sul neste final de semana teve ventos de até 100 km/h e deixou 22.500 desabrigados

Carolina Freitas, Agência Estado

04 de maio de 2008 | 11h56

Este domingo, 4, será de chuva forte e ventos de até 72 quilômetros por hora no litoral do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Na segunda-feira, 5, no entanto, o mau tempo deve dar uma trégua, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). O ciclone que atingiu o sul do país nesse final de semana teve ventos de até 100 km/h e deixou 22.500 pessoas desabrigadas no Rio Grande do Sul. Pelo menos uma pessoa morreu no Estado, apesar de o ocorrido ainda não constar nos registros da Defesa Civil gaúcha.   O meteorologista do Inmet em Brasília, Mamedes Luiz Melo, diz que a próxima madrugada ainda terá vento e chuva. "A madrugada será chuvosa em Porto Alegre, no litoral gaúcho e no sul de Santa Catarina, mas amanhã pára de chover e o vento diminui", diz. A previsão é de ventos de 36 km/h em Porto Alegre, 72 km/h no litoral do Rio Grande do Sul e de 64 km/h no sul catarinense.   O ciclone se formou no nordeste do Rio Grande do Sul, atingiu a região metropolitana de Porto Alegre, a serra gaúcha e o litoral norte, com ventos de 90 km/h na Grande Porto Alegre e de 100 km/h na região de praias. Os efeitos da intempérie foram sentidos em Santa Catarina quando o ciclone se deslocou para o oceano.   Segundo o meteorologista do Inmet na região Sul, Gil Russo, os efeitos do ciclone foram graves. Casas foram destelhadas e árvores arrancadas pela raiz. "O caos aconteceu porque o ciclone se concentrou em uma área urbana, de grande concentração populacional e com muitas construções."   A Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) ainda trabalha para normalizar o fornecimento no Estado. A estrada estadual que liga os municípios gaúchos de Maquiné e Barra do Ouro está interrompida, depois que o Rio Maquiné transbordou, segundo informações da Defesa Civil do Rio Grande do Sul. A Defesa Civil de Santa Catarina faz na manhã de hoje uma visita a Ermo, no Sul do Estado, área mais castigado pelo ciclone. O nível do rio da cidade subiu e deixou 40 famílias desabrigadas. Foi decretada situação de emergência. Outros 12 municípios do sul do Estado também sofreram os efeitos da intempérie.

Tudo o que sabemos sobre:
ventossulciclone

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.