Ventos de 100 km/h deixam parte do Rio sem luz

Um temporal com ventos de mais de 100 km/h causou estragos na região metropolitana do Rio e Região dos Lagos na manhã de hoje. Diversos bairros da capital e algumas cidades da Região Metropolitana e do interior ficaram sem luz, devido à queda de postes e linhas de transmissão, e ruas e avenidas tiveram o trânsito interrompido por quedas de árvores. No Morro dos Macacos, em Vila Isabel, na zona oeste, dez barracos foram parcialmente destruídos, deixando cerca de 40 pessoas temporariamente sem residência, segundo a Defesa Civil. Não houve registrou de vítima fatal.O temporal foi provocado pela chegada de uma frente fria vinda do Sul, que segue agora para o Espírito Santo e Sul da Bahia, segundo a meteorologista Marlene Leal, do Serviço Nacional de Meteorologia. Segundo ela, a capital fluminense registrou ventos entre 90 e 100 km/h. ?Em Resende, chegamos a registrar 126 km/h de ventos?, disse. Segundo Marlene, o vendaval foi um dos mais fortes já registrados no Estado.Os aeroportos Santos Dumont e Internacional passaram parte da manhã fechados, e a ponte Rio-Niterói ficou com o tráfego interrompido por quase uma hora e meia. Na Barra da Tijuca, na zona oeste, um posto de gasolina ficou totalmente destruído por causa do vento. A região foi a mais atingida pelo temporal, que provocou o cancelamento da parada da Independência na cidade.Segundo a distribuidora de energia Light, o rompimento de uma linha de transmissão de alta tensão deixou grande parte dos bairros de São Conrado, Barra e Jacarepaguá às escuras, sem previsão de retorno do fornecimento até o fim da manhã. A distribuidora, que atende à região metropolitana, dobrou o número de pessoas nas equipes de emergência, mas mesmo assim teve dificuldades para atender aos chamados. Foram 140 circuitos de média tensão e três subestações danificadas.A Cerj, distribuidora responsável pelo fornecimento de parte do Estado, também teve problemas. Árvores, placas e material de propaganda política cortaram fios, deixando sem luz cerca de 100 mil pessoas em Niterói, São Gonçalo e Região dos Lagos.De acordo com o coronel-bombeiro João Carlos Mariano, um homem ficou ferido ao ser atingido por um muro que desabou em São Cristóvão, bairro que registrou também a queda de uma torre de telecomunicações. A Defesa Civil estadual recebeu 620 comunicados de quedas de árvores e 180 de destelhamento de edifícios. No centro, a fachada de um sobrado desabou e parte do teto da Defesa Civil municipal foi danificada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.