Verdes apresentarão nova versão do programa de governo na terça

Texto deverá trazer detalhamentos técnicos das diretrizes protocoladas no TSE, [br]no início do mês

Lucas de Abreu Maia, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2010 | 00h00

Depois de criticar os adversários na corrida presidencial por "não terem se preparado para o debate", chegou a vez de a candidata do PV, Marina Silva, fazer mudanças nas diretrizes para seu plano de governo. A candidata lançará na próxima terça-feira, em São Paulo, nova versão do documento. O texto deverá trazer detalhamentos técnicos das diretrizes protocoladas, no início do mês, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As alterações foram sugeridas por internautas e especialistas que apoiam sua campanha. "Não mudam os conceitos, não muda eixo nenhum. É um aprimoramento feito a partir das contribuições recebidas tanto de especialistas quanto de pessoas comuns", explica João Paulo Capobianco, coordenador da campanha.

Desde a oficialização da candidatura, as diretrizes do programa ficaram disponíveis para consulta no site de Marina. Os visitantes puderam fazer sugestões, compiladas depois pelos responsáveis pelo plano de governo do PV, coordenados pelo economista Paulo Sandrini. Entre os colaboradores do texto estão a socióloga Maria Alice Setubal, que cuida das políticas para a educação, e o ex-secretário nacional de Segurança Pública Luiz Eduardo Soares, responsável pela segurança. As propostas econômicas são chanceladas por Eduardo Giannetti da Fonseca e Amir Cury.

Marina tem hesitado em se comprometer com metas e prazos. A candidata disse repetidas vezes que quer "evitar consensos ocos". Segundo Capobianco, contudo, os novos eixos terão propostas mais concretas. "Algumas diretrizes estão entrando num nível de detalhamento bastante grande. O que a gente entende é que você precisa primeiro estabelecer qual é a visão de País, quais são as prioridades. Isso tem de ser decupado depois, para se transformar em metas concretas", explicou. O texto final deverá ser divulgado apenas em setembro.

Críticas. A candidata verde já criticara os adversários José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) por "não terem se preparado para o debate" de propostas. "Prepararam-se para o embate, tanto é que um deles já apresentou várias versões e o outro não apresentou nenhuma proposta, colocou apenas os seus discursos como se fosse um plano de governo", atacou. Dilma já anunciou estar trabalhando numa terceira versão das diretrizes de governo. O documento entregue com o registro de sua candidatura gerou polêmica pelas propostas radicais e foi alterado horas depois. As diretrizes de Serra, por sua vez, constituem-se de dois discursos entregues ao tribunal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.