Verdes querem tornar candidata uma ''causa'', para atrair doações

Maior potencial de adesão, acreditam colaboradores, é do setor de energias alternativas e da classe média alta

Roberto Almeida, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2010 | 00h00

O comando de arrecadação de campanha da presidenciável Marina Silva vai usar a expertise obtida em ONGs ambientalistas que, a partir do engajamento de militantes, angariaram recursos com base em uma "causa". O maior potencial de adesão, acreditam colaboradores, é do setor de energias alternativas e da classe média alta do Sudeste.

A campanha prevê que, assim que a história e as ideias de Marina se tornarem mais conhecidas do eleitorado, ela se transforme em "causa" por "seu novo jeito de fazer política". O desafio é fazer o que as ONGs conseguiram, após 10 anos de trabalho "batendo cabeça", em quatro meses. A campanha avalia como mais provável a contribuição de empresas alternativas, dedicadas à fabricação de equipamentos para produção de energia eólica, biomassa e de pequenas centrais hidrelétricas. Mas não descarta receber ajuda de empreiteiras.

"Temos a clareza de que não temos a mesma estrutura que os outros candidatos. Mas a lógica é de que serão muitos contribuindo com pouco. Vamos buscar o apoio em diversos segmentos, uma ação horizontalizada", afirmou Marina. Segundo Guilherme Leal, presidente da Natura e provável vice de Marina, a campanha não dará "selo de bons cidadãos para quem contribuir".

Engajados. Para amealhar ajuda financeira de pessoas físicas, a campanha de Marina deve buscar doações por internet e celular. Até o momento, o PV coletou R$ 200 mil por meio de seu site, considerado o pontapé inicial de uma estratégia mais complexa.

O objetivo é despertar no eleitorado um novo comportamento, preocupado com consumo de energia a partir de fontes renováveis, empregos verdes e desenvolvimento sustentável. A partir daí, produzir material de campanha "2.0", ou seja, layouts enviados pela internet que podem ser personalizados - como buttons, panfletos e adesivos.

Já há exemplo online desse tipo de iniciativa. O Movimento Marina Silva (movimentomarinasilva.org.br), de cunho suprapartidário, disponibiliza material gráfico para seus 16 mil seguidores. Em eventos recentes, os membros do movimento distribuíram seus buttons e adesivos: "Eu marinei. E você?"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.