Vereador Chiquinho Grandão é baleado no Rio

O vereador Sebastião Ferreira da Silva, conhecido como Chiquinho Grandão, do Partido Verde de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, foi baleado na manhã desta quinta-feira na Estrada do China, no bairro Parque Fluminense, naquele município. O parlamentar, de 43 anos, foi surpreendido quando saía de um centro social que ele vai inaugurar na região e que está em obras. O vereador levou cinco tiros - dois no abdome, um na perna, outro no braço e o último no tórax - e não morreu.A polícia não descarta a hipótese de crime político. Chiquinho Grandão faz parte das comissões permanentes de transportes e finanças e há quinze dias solicitou a instalação de uma CPI para apurar a cobrança de ISS (Imposto Sobre Serviços) das instituições financeiras e bancos de Duque de Caxias."Um homem, que estava no banco carona, saltou do carro e chamou o vereador pelo nome: Chiquinho, Chiquinho. Em seguida, disparou cinco vezes. Nem deu tempo para reação", disse o delegado André Luís, titular da delegacia de Campos Elísios (60ª DP), onde o caso foi registrado.O policial contou que, no momento do atentado, três homens trabalhavam na obra, entre eles o irmão do vereador. "O rapaz ainda jogou um martelo no criminoso, mas não acertou. Ele é assessor e também trabalha como pedreiro para o parlamentar."O vereador foi levado para o Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, onde foi submetido a cirurgia para retirada das balas. O quadro clínico dele é estável, informou a Secretaria Estadual de Saúde. Até o início da noite, a polícia não tinha prendido os criminosos. "Eram pelo menos dois bandidos. Eles usaram um carro com um insulfilm muito escuro e, após os disparos, fugiram. A gente já tem o retrato falado de um suspeito de ter atirado no vereador", declarou o delegado.Na tarde de hoje, 16 vereadores de Duque de Caxias se reuniram com a cúpula da segurança pública do Rio para pedir rigor nas investigações e solicitar reforço de policiamento na Baixada Fluminense. Chiquinho Grandão foi o terceiro parlamentar do município a sofrer atentado em pouco mais de um ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.