Vereador confessa ter ordenado morte de colega em Viana

O vereador Lauro Poubel (PTB) confessou na tarde desta sexta-feira, 30, ter dado a ordem para o assassinato do também vereador Valdeci Cândido Moraes (PRP), executado com nove tiros, no início da noite de ontem, dentro do plenário da Câmara Municipal de Viana, no Espírito Santo. O crime foi cometido por um primo de Poubel, Silvano Dias de Almeida, de 28 anos, que também já confessou à polícia sua participação. O revólver e a pistola usados pelo assassino foram encontrados na madrugada de hoje dentro de uma bolsa, enterrada no sítio de Poubel, em Xuri, no mesmo Estado. Além do vereador e do primo, outras cinco pessoas foram detidas por suspeita de envolvimento na execução. Poubel alega que vinha sendo ameaçado de morte pela vítima. Almeida já foi condenado por um outro homicídio, mas cumpria pena em liberdade condicional. "Lauro comprou terno e gravata para o primo, para que este, que morava na roça, passasse desapercebido na câmara", explicou o delegado Danilo Bahiense, titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Agencia Estado,

30 de junho de 2006 | 18h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.