Vereador do PV é preso acusado de liderar quadrilha

A Polícia Civil prendeu, neste sábado, 26, o vereador por Rio Largo, Alexandre Cardoso da Silva, o Junior Pagão (PV), acusado de liderar uma quadrilha envolvida em seqüestros, assaltos, roubos de carga e homicídios. Ele tinha prisão preventiva decretada pelos juízes do Núcleo de Combate ao Crime Organizado e estava foragido desde o início do ano. Para prender Júnior Pagão, a polícia de Alagoas organizou a Operação Batismo, com mais de 30 policiais. A prisão foi feita a partir de informações da delegada Elizabeth Nascimento que conseguiu descobrir, nesta madrugada, o local onde Pagão estava escondido. O diretor-geral da Polícia Civil, delegado Robervaldo Davino, que comandou a operação, disse que tinha a informação de três possíveis esconderijos do vereador. "Cercamos os três esconderijos e adentramos as casas praticamente ao mesmo tempo. Em uma delas, estava o vereador foragido", contou Davino.Depois de preso e algemado, Pagão foi levado para o Instituto Médico Legal de Maceió, onde foi submetido a exame de corpo de delito. De lá, ele foi conduzido em um camburão até o presídio Robens Quintella, onde ficará preso à disposição da Justiça. Em entrevista a imprensa, Pagão disse que estava em Rio Largo porque iria se entregar.Segundo o advogado Bruno Cardoso, Pagão estava em casa e se entregaria a polícia na segunda-feira. O advogado disse ainda que a prisão foi tranqüila e o vereador não reagiu. O vereador se diz vítima de um complô político, articulado pela oposição, para prejudicar o grupo da prefeita de Rio Largo, Vania Paiva (PMDB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.