Beto Barata/AE
Beto Barata/AE

Vereador nega relação entre lista de nomes e partido

Washington Milhomen nega irregularidades, mas admite que alguém pode ter coletado assinaturas em paralelo

Eduardo Bresciani, O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2011 | 00h00

SÃO SALVADOR DO TOCANTINS (TO)

O vereador Washington Milhomen (PR), conhecido como Pezão, nega ter vinculado a distribuição de cestas básicas para a população o de São Salvador do Tocantins (TO) a assinaturas de apoio à criação do PSD.

"Os documentos que pedimos foi para fazer um cadastro para a Secretaria de Ação Social do Estado. Não tinha nada a ver com o partido", garantiu o vereador. O cadastro a que ele se refere teria sido um pedido do governo estadual. Pezão disse que essa era uma exigência para a distribuição das cestas, mas alega que entregou metade das 300 cestas que chegaram ao município sem coletar assinaturas e documentos de quem recebeu.

A lista de apoio ao PSD em São Salvador do Tocantins, ao qual o Estado teve acesso, tem os nomes de 141 pessoas, entre asquais o vereador. Apesar de negar a vinculação da distribuição das cestas com o novo partido, ele admite que alguém pode ter coletado a assinatura em paralelo ao trabalho de cadastro.

O secretário de Comunicação do Tocantins, Arrhenius Naves, disse ser "inconcebível" a distribuição de cestas básicas ter ocorrido junto com a coleta de assinaturas para o PSD. A distribuição de alimentos, afirmou, foi feita pelos funcionários do governo em váriascidades do Estado.

Naves estranhou o fato de um vereador ter comandado o processo de distribuição. "Se houve algum político que se apossou das cestas para distribuir, nós desconhecemos. Nós mandamos tudo para associações de moradores", justificou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.