Vereadores aprovam 197 cargos

Kassab ganha comissionados na Secretaria do Verde

Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

17 de dezembro de 2008 | 00h00

A quatro dias do recesso parlamentar e no meio de um pacote com 33 projetos aprovados, a gestão Gilberto Kassab (DEM) conseguiu passar ontem em primeira discussão, com 38 votos favoráveis e 9 contrários, um projeto que descongela 158 cargos comissionados da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. O impacto na folha de pagamento do governo em 2009 será de R$ 6.469.212,54, segundo estudo técnico da liderança do PT na Câmara.Além dos cargos descongelados, o projeto criou outros 39 de livre indicação, totalizando 197 novos cargos de confiança. Segundo defendeu o líder de governo José Police Neto (PSDB), as funções descongeladas servem para as indicações de funcionários nos 30 novos parques abertos desde 2006. "O governo quer reestruturar a pasta para permitir o bom funcionamento dos novos parques."A bancada do PT fez oposição isolada. O "centrão", que chegou a se opor ao projeto na semana passada, ontem não colocou empecilhos, após acordo com o governo de teor não revelado. Para o PT, contudo, Kassab criou o "trem da alegria do Verde" com o projeto, que deve passar em segunda discussão na sessão de amanhã."O (José) Serra tinha congelado esses cargos em 2005, dizia que a administração do PT era ?faustosa?, gastava demais. E agora vemos que o Kassab mudou de idéia e quer inflar a secretaria com cargos só de confiança", disse João Antonio (PT).Kassab também conseguiu aprovar ontem, só que já em segunda discussão, projetos que autorizam melhoramentos urbanos em bairros da periferia, com a ampliação de ruas, e a concessão de terrenos a entidades como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a PUC-SP.ORÇAMENTOApós o pacote de ontem, a Câmara deve votar nova rodada de projetos de vereadores hoje e o orçamento reduzido de R$ 29,4 bilhões para R$ 27,2 bilhões nas sessões de quinta e sexta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.