Vereadores de Itapetininga perdem direitos políticos

Doze políticos de Itapetininga, entre eles quatro vereadores do município, tiveram seus direitos políticos suspensos pela Justiça nesta quinta-feira. Eles também foram condenados a pagar multa de R$ 50 mil. A condenação se deve a acusações de uso ilícito de dinheiro público feitas pelo Ministério Público. Os políticos vão recorrer em segunda instância ao Tribunal de Justiça de São Paulo. Caso o TJ mantenha a condenação, os quatro vereadores, entre eles o presidente da Câmara de Itapetininga, perderão os mandatos. O presidente da Câmara da cidade é o vereador Hiram Ayres Monteiro Júnior (PSDB).Os promotores acusaram os políticos de terem sacado indevidamente R$ 550 mil que estavam depositados em juízo. O dinheiro refere-se a um aumento que os vereadores da cidade deram a si mesmos em 1997, mas que foi bloqueado judicialmente por uma ação popular. O Ministério Público argumentou que o banco que guarda o dinheiro enviou por engano cartões magnéticos aos políticos, que então sacaram o valor. Eles foram intimados a devolver em 24 horas o que haviam sacado, mas apenas um deles repôs o dinheiro na conta. A suspensão dos direitos políticos é de oito anos para três vereadores e oito ex-vereadores. O presidente da Câmara foi condenado a suspensão por três anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.