Vereadores de SP pedem veto a mudanças no zoneamento

Vereadores da bancada do PT e da oposição prepararam ontem uma carta para a prefeita Marta Suplicy (PT), pedindo veto a todos os artigos do Plano Diretor que alteram o zoneamento de algumas regiões. O documento ficou pronto no fim da tarde. Até as 18h30, seis vereadores do PT - que rachou após a aprovação da lei - tinham assinado a carta, entre eles o presidente da Câmara, José Eduardo Martins Cardozo. Além dele, também assinaram os petistas Beto Custódio, Lucila Pizani, Flávia Pereira, Carlos Neder e Carlos Giannazi, suspenso do partido. A carta ainda traz os nomes dos vereadores Claudio Fonseca e Alcides Amazonas (ambos do PC do B), Havanir Nimtz (Prona), José Rogério Farhat (PSD), Marcos Zerbini, Willian Woo, Gilberto Natalini, Carlos Alberto Bezerra Júnior e Ricardo Montoro, do PSDB. No documento, eles lembram que, durante as discussões do projeto, tanto na Câmara como no Executivo, não foram debatidas as emendas que mudaram as zonas estritamente residenciais. "É fundamental que nenhuma dúvida paire sobre as reais intenções do poder municipal ao aprovar um Plano Diretor estratégico para o nosso Município", diz a carta. Em entrevista ao Estado no sábado, Marta afirmou que não pretende vetar nenhum ponto do projeto. A idéia de preparar o documento partiu da oposição. "É uma discussão que deve ser tomada mais adiante, na revisão da Lei de Zoneamento", explicou o vereador tucano Ricardo Montoro. PressaForam meses de discussão, mais de 20 audiências públicas na cidade e na Câmara e 160 emendas apresentadas pelos vereadores. Mesmo assim, as mudanças no zoneamento foram decididas algumas horas antes da aprovação do Plano Diretor em plenário, na madrugada de sexta-feira. "As emendas de zoneamento são quireras diante da importância do plano", disse ontem o ex-líder do governo José Mentor (PT), um dos principais articuladores da versão aprovada. As alterações incluídas no documento transformaram regiões estritamente residenciais em áreas mistas, permitindo outras atividades. Segundo Mentor, todos os vereadores que aprovaram o plano sabiam o teor das emendas. Ontem, o clima foi tenso durante toda a sessão. Mentor queria começar a discussão do outro projeto polêmico, o que autoriza a regularização de corredores comerciais em áreas residenciais, mas não houve quórum suficiente. A principal pergunta entre os parlamentares foi quem apresentou as emendas que alteraram as Z-1. O vereador Alcides Amazonas (PC do B), por exemplo, chegou a pedir em plenário que os autores fossem revelados. O vereador Celso Jatene (PTB) foi o único que assumiu oficialmente que pediu mudanças na Rua Jesuíno Maciel, no Campo Belo, zona sul. Segundo ele, o pedido atendeu a um abaixo-assinado dos moradores da região. O vereador Milton Leite (PMDB) disse que "não se lembrava" se também tinha apresentado emendas semelhantes. "Apresentei muitas sugestões, pode ser que alguma foi desse tipo", disse Leite, favorável às mudanças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.