Vereadores de SP usam placa oficial em carros alugados

Recém-chegados à Câmara Municipal de São Paulo, os novos carros dos vereadores já provocaram polêmica. Dessa vez, não é o gasto para manter a frota, mas as placas dos veículos. Muitos estão circulando com placa oficial da Casa, o que é proibido por lei. Segundo a Assessoria de Imprensa do Detran, veículos particulares não podem circular com placas oficiais. É o caso dos carros da Câmara, que foram alugados recentemente. Alertado sobre a irregularidade, o presidente da Casa, Arselino Tatto (PT), afirmou que vai enviar nesta quarta-feira uma carta a todos os parlamentares, proibindo a substituição das placas. Além disso, vai solicitar ao Detran mais dados sobre o assunto. ?Na dúvida, mandei proibir a substituição imediatamente?, disse Tatto. Segundo ele, a decisão de instalar placas oficiais partiu dos próprios vereadores. ?A Mesa Diretora não tem nenhuma responsabilidade.? Os novos Sienas foram alugados com custo mensal de R$ 1.460,00 cada, fora os gastos com combustível. Eles substituíram os antigos Voyages comprados pelo governo na década de 80. A decisão de alugar os veículos foi baseada no estudo sobre a reforma administrativa da Câmara, preparado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que aconselhou os vereadores a alugar em vez de comprar carros. Muitos parlamentares, porém, resolveram abrir mão do benefício e solicitaram a devolução do carro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.