Vereadores e suplentes são presos no interior do Pará

Dois vereadores e quatro suplentes foram presos em Bragança, no interior do Pará, acusados de criar uma câmara municipal paralela na cidade. Durante um ano, Bragança foi submetida ao poder de dois legislativos.A confusão começou com a eleição do vereador da oposição, Jorge Fernando da Costa, para a presidência da câmara. Oprefeito da cidade, José Diogo, descontente com a eleição de Costa, mobilizou aliados que, em uma nova eleição, escolheramoutro presidente para o posto, Franscisco Abdon.A verba de manutenção do legislativo passou a ser entregue, de acordo com o Jornal Hoje, da TV Globo, à câmara da situação.Os vereadores da oposição continuaram se reunindo no prédio da câmara, mas, assim como os funcionários da casa, tiveramseus salár ios cortados.O Supremo Tribunal de Justiça chegou a reconhecer o vereador da oposição, Jorge da Costa, como presidente da câmara, masele só reassumiu de fato depois que a juíza Luzia do Socorro Silva dos Santos mandou prender o presidente da câmara dasituação, Fran cisco Abdon, na semana passada. Outro vereador e quatro suplentes, que assumiram de forma irregular, tambémforam presos.O Ministério Público entrou com ação de improbidade administrativa, cobrando dos vereadores a devolução do dinheiro recebido de forma indevida, mais R$ 700 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.