Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução

Após atrair multidão, megaloja aberta em Belém é fechada pela Polícia

Imagens mostram aglomeração de centenas pessoas em loja Havan no mesmo dia em que Brasil chega a 150 mil mortes por covid-19; celebração do Círio de Nazaré ocorre neste fim de semana e não terá procissões

Priscila Mengue e Roberta Paraense, especial para O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2020 | 17h24
Atualizado 10 de outubro de 2020 | 21h58

BELÉM - A primeira loja Havan de Belém foi fechada pela Polícia Civil na tarde deste sábado, 10, após atrair uma multidão de pessoas durante a inauguração, causando aglomeração. A intervenção ocorre horas após vídeos de centenas de pessoas dentro do espaço viralizarem nas redes sociais. O estabelecimento foi notificado pelo Governo do Pará e pela Prefeitura de Belém.

O evento ocorreu no mesmo dia em que o Brasil atingiu a marca de 150 mil vítimas do novo coronavírus. A capital paraense foi uma das mais afetadas pela pandemia da covid-19 no Brasil. O Pará tem 237.938 casos e 6.654 óbitos confirmados da doença.

Segundo o Governo do Pará, o gerente da megaloja será conduzido pela polícia para prestar esclarecimentos, pelo não cumprimento do distanciamento social. "A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) informa que a responsabilidade pela fiscalização no local é da Prefeitura de Belém, mas como o poder público municipal não se manifestou, a Sespa enviou ao local uma equipe da Vigilância Sanitária", diz em nota.

O comunicado ainda informa que o estabelecimento foi notificado pelo não cumprimento das regras indicadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A Polícia Militar acompanhou a operação. "O representante do estabelecimento será intimado para prestar esclarecimentos e autuado por crime Contra a Saúde Pública, de acordo com o artigo 268 do Código Penal Brasileiro, cuja pena varia entre 01 mês e 01 ano de detenção além de multa."

Já a Prefeitura de Belém, após afirmar que não tinha responsabilidade sobre o evento, por ser em local privado, emitiu uma nova nota sobre o caso no início da noite, em que anuncia ter notificado o estabelecimento e que equipes do Município acompanham a situação desde a manhã.

"A Coordenadoria da Ordem Pública, órgão que integra o comitê de segurança municipal, informa que notificou a loja de departamento Havan por não cumprir o decreto Municipal 97.474/2020, no que se refere a gerar aglomeração e disseminação da covid-19, sob pena de multa e cancelamento do alvará de funcionamento por descumprimento da legislação vigente e protocolos sanitários específicos", alegou em nota.

A aglomeração chamou a atenção na cidade também por ser registrada no mesmo final de semana das comemorações do Círio de Nazaré. A 228ª edição teve as procissões canceladas, para conter a disseminação do novo coronavírus entre os fiéis, e será celebrada de forma virtual pela primeira vez. Nas ruas por onde costuma passar o cortejo, o movimento era tranquilo, enquanto, à porta da loja, o fluxo era intenso logo nas primeiras horas do dia.

“Quando olhei pela janela do quarto, vi uma movimentação fora do normal de um sábado. Muito carro na rua, ouvi também uns gritos, zoada de buzina. Pensei até que eu estava delirando já que foi cancelada a procissão do Círio Fluvial, que movimenta a Augusto Montenegro no Sábado de Círio, mas quando dei conta, era a população querendo entrar na loja”, contou a administradora de empresas Thelma Lima, de  46 anos, moradora do condomínio Mirante do Parque, localizado em frente da megaloja.

O estacionamento da loja, com capacidade para 550 vagas de veículos, não chegou a ficar totalmente ocupado. No entanto, imagens gravadas por cinegrafistas amadores mostram uma multidão à frente do portão de entrada da loja. Na abertura, após as 9 horas, os clientes se esbarrajam uns nos outros para tentar um espaço na área interna do estabelecimento.

 “Faz tempo que eu não participo de um evento como este. Estava semelhante ao show mesmo. Música, animação, um empurrando o outro, uma verdadeira festa”, disse o estudante Thiago Barros, de 18 anos, que esteve no local. Ainda nas imagens dos celulares, é possível ver jovens, idosos e crianças sem o uso de máscaras, que é obrigatório no estado, por determinação de decreto estadual. 

Com a unidade Belém, a rede de departamento chega à marca de 150 megalojas no País. Outro atrativo na inauguração foi a transmissão em um telão de um vídeo feito pelo apresentador Silvio Santos, em razão do aniversário do empresário Luciano Hang, proprietário da loja de departamento e que, nos últimos meses, fez declarações em que minimizou a pandemia. No palco do evento, o empresário usava traje de carimbó, dança típica do do Pará, ao lado de bailarinas da cultura local. 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa das Lojas Havan e aguarda retorno. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.