Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Via Grajaú-Jacarepaguá é liberada após deslizamento de rocha no Rio

Pedra de 600 toneladas havia caído na estrada por causa da chuva e teve que ser implodida

Priscila Trindade , Central de Notícias

27 Abril 2011 | 09h30

SÃO PAULO - A Autoestrada Grajaú-Jacarepaguá foi liberada por volta das 7h35 desta quarta-feira, 27, após a implosão de uma rocha de cerca de 600 toneladas, que deslizou na via, na zona norte do Rio.

 

O deslizamento da pedra aconteceu na madrugada de terça-feira, em frente ao Morro da Árvore Seca, durante o temporal que atingiu a cidade durante a noite e parte da madrugada. Ninguém se feriu.

 

Os trabalhos de implosão tiveram início na manhã de ontem. Na primeira das duas implosões, por volta das 10h30, foram utilizados 5 kg de dinamite. A rocha ficou fragmentada em oito partes e, em seguida, após as 12 horas, a equipe utilizou 1 kg de dinamite. Os trabalhos de redução destes fragmentos ocorreram com auxílio de equipamento e foram feitos nos turnos da noite e madrugada.

 

Técnicos da Fundação Geo-Rio, órgão da Secretaria Municipal de Obras da Prefeitura, continuam na encosta realizando monitoramento da área.

 

Rodovia litorânea. Na Rio-Santos (BR-101), o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) já iniciou nesta manhã os trabalhos de reconstrução do trecho onde houve um desmoronamento causado pelo mesmo temporal.

 

O trânsito segue no esquema pare e siga pelo acostamento, na altura do km 521,5, em Angra dos Reis, nas proximidade da Praia Brava. A previsão inicial é de que os trabalhos sejam concluídos em seis meses. As equipes irão fazer uma parede para contenção da encosta. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o trânsito na via é normal.

 

Ocorrências. A Defesa Civil registrou, das 19 horas do dia 25 até as 17h30 de ontem, 373 ocorrências. A maior parte das solicitações foi em decorrência de alagamentos, que teve 69 registros.

 

Atendimentos por imóveis com rachaduras veio logo depois, com 37 chamados, seguido por ameaças de desabamento (27); deslizamentos de barreira que atingiram imóveis ou veículos (26); e deslizamentos de barreira (24).

 

Os bairros que mais registraram chamados foram Tijuca (50), Vila Isabel (22), Andaraí (22), Praça da Bandeira (16), Engenho Novo (15) e Rio Comprido (14).

 

Atualizado às 12h47 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.