Viação Himalaia continua parcialmente parada na zona leste

Funcionários descumprem ordem do TRT e deixam parte dos ônibus na garagem

RICARDO VALOTA, Estadão.com.br

03 de fevereiro de 2011 | 05h22

SÃO PAULO - Descumprindo ordem do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que determinou multa de R$ 100 mil por dia ao Sindicato dos Motoristas e Cobradores em caso da continuidade da greve, iniciada na última segunda-feira, 31, a empresa de ônibus Himalaia, que atende linhas que fazem a ligação entre a zona leste e a região central da capital, amanheceu parcialmente parada.

A garagem I, localizada no Tatuapé, de onde saem os trólebus, liberou os veículos normalmente a partir das 2h45, mas a garagem II, a principal, no Sapopemba, continua parada. Por volta das 3 horas, a São Paulo Transportes(SPTrans) acionou a operação Paese, remanejando 99 veículos de outras empresas para cobrir as 11 principais linhas, do total de 26, operadas pelos 304 ônibus do pátio que amanheceu fechado nesta manhã de quinta-feira, 3.

Os funcionários da viação Himalaia haviam anunciado na quarta-feira, 2, que voltariam a trabalhar normalmente. O anúncio foi feito após o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinar que o sindicato seria multado se as linhas não funcionassem a partir de hoje em 90% da sua capacidade normal nos horários de pico, e em 60% nos demais horários.

A greve das duas garagens, entre segunda, 31, e quarta-feira, 2, chegou a paralisar mais de 500 veículos, entre ônibus e trólebus, afetando 180 mil pessoas, segundo a Prefeitura. A Himalaia atua entre São Mateus, Cidade Tiradentes e Vila Carrão, na zona leste, e a região central.

De acordo com o sindicato que representa os trabalhadores, os funcionários não querem que as linhas sejam transferidas para a empresa Novo Horizonte, que incorporaria todos os trabalhadores. A empresa propôs manter os contratos de trabalho dos funcionários e informou que os insatisfeitos poderiam pedir demissão e receber os direitos trabalhistas.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulotransportecidades

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.