Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Viação Paulista pára em protesto à morte de motorista

Os 530 funcionários da Viação Paulista, que atende a mais de 50 mil passageiros de ônibus nas zonas norte e leste de São Paulo, estão parados desde às 21 horas de ontem, em protesto à morte do motorista Cícero Gomes de Sá, 46, assassinado durante um assalto.Os 183 ônibus ficarão estacionados na garagem, localizada no Parque Novo Mundo e deixarão de operar 17 linhas da empresa até que seja realizado o sepultamento do funcionário, por volta das 16h de hoje. O corpo de Cícero ainda está no IML - Insituto Médico Legal - e o local do enterro ainda não foi confirmado pelos colegas da empresa.Assalto - Ontem, por volta das 19 horas, dois homens entraram no ônibus em que Cícero dirigia e iniciaram um assalto. Os bandidos já haviam assaltado o cobrador e estavam quase descendo do ônibus, quando o motorista, armado, tentou impedir o assalto. A arma de Cícero falhou e ele foi assassinado.

Agencia Estado,

29 de agosto de 2001 | 06h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.