Viaoeste diz que PM não comunicou operação em Sorocaba

A Concessionária de Rodovias do Oeste de São Paulo (Viaoeste) divulgou no final da tarde desta terça-feira uma nota sobre a operação da Polícia Militar ocorrida pela manhã, que resultou na morte de 15 supostos integrantes da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), no pedágio da Rodovia José Ermírio de Moraes(SP-75), conhecida como Castelinho.Na nota, a Viaoeste afirma que não foi comunicada pela polícia da operação em curso. Durante a tarde, em entrevista coletiva concedida na sede do 1º Batalhão da PolíciaRodoviária, em São Bernardo do Campos (SP), um dos comandantes da operação, general Romeu Takami, afirmara que a polícia já sabia, há uma semana, do deslocamento docomboio e que havia preparado esquema especial no pedágio, para evitar a exposição de funcionários numa eventual troca de tiros.É a seguinte a nota da Viaoeste:1. A Viaoeste não foi previamente informada sobre a operação. Os funcionários dopedágio trabalhavam normalmente quando, imediatamente após a passagem do ônibus,policiais ordenaram o fechamento da praça; 2. O motorista do ônibus pagou o pedágio a uma funcionária da Viaoeste, cujo nome nãoserá divulgado pela empresa por razões de segurança;3. Assim que a praça foi fechada, o tráfego foi interrompido por 14 minutos, o que causoulentidão de aproximadamente um quilômetro nas alças de acesso à Castelinho e de cincoquilômetros para o usuário que estava em Sorocaba no sentido Itu/Castelo Branco;4. A câmera de monitoramento de tráfego localizada no Km 13 não acompanhou a açãoporque estava direcionada para o lado oposto. A fita contendo as imagens geradas pelacâmera instalada na praça de pedágio foi apreendida por Policial Militar que estava no local".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.