Viaturas da Força Nacional de Segurança circulam por Florianópolis

Agentes atuarão na operação de transferência de líderes de facção a presídios federais

Júlio Castro,

15 Fevereiro 2013 | 16h44

FLORIANÓPOLIS - Agentes do Paraná e Rio Grande do Sul, em viaturas da Força Nacional de Segurança (FNS) foram vistos circulando em Florianópolis no final da manhã desta sexta-feira. O governo de Santa Catarina ainda não se manifestou oficialmente quanto a presença dos federais, afirmando que qualquer operação será feita sob completo sigilo. Já o ministério da Justiça, em Brasília, informa que a qualquer momento pode ser publicada, em edição extra do Diário Oficial da União, portaria que autoriza o envio de tropas para auxiliar no combate à onda de atentados registrada nos últimos 17 dias em Santa Catarina. Foram vistas viaturas na cabeceira das pontes de acesso e saída da Ilha e em frente a Base Aérea de Florianópolis.

São esperados, até o final da tarde desta sexta-feira, cerca de 350 homens da FNS. Grande parte da tropa vai atuar na operação de escolta à transferência dos líderes da facção Primeiro Grupo Catarinense (PGC) para presídios federais de segurança máxima. Eles estão presos na Penitenciária de São Pedro de Alcântara, distante cerca de 30 quilômetros da Capital. Vão atuar também nos principais presídios do Estado em operação que visa conter eventuais rebeliões pela transferência dos líderes. Outra parte deverá se juntar a Polícia Militar nas cidades onde estão ocorrendo os atentados em suporte à segurança das populações. Deste o dia 30 de janeiro já foram registrados 100 atentados, 37 deles contra ônibus de transporte urbano em 30 cidades catarinenses. Uma pessoa foi morta em confronto com a polícia. Joinville e Florianópolis, com 15 ataques cada, foram as mais atingidas pelas ações criminosas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.