Vice-cônsul de Israel agride motorista no Rio

O vice-cônsul de Israel, Amir Shinshon Yerushalmy, pode ser indiciado por lesão corporal por ter agredido um motorista de táxi no dia 27 de outubro, numa briga por causa de uma vaga no estacionamento do Corcovado.O diplomata, de 29 anos, alega que bateu no motorista Norberto da Silva Moita, de 66, porque, durante a discussão, este teria jogado uma pedra em seu carro, onde estavam sua mulher e o filho, de cinco meses.Moita, que sofreu fraturas na 11ª e na 12ª vértebras da coluna cervical e na clavícula esquerda, caiu de uma ribanceira e terá de ficar pelo menos um mês sem trabalhar.O motorista diz ter levado um chute no peito. Ele rolou numa ribanceira e por pouco não despencou num precipício ? foi seguro por uma árvore.Revoltados, taxistas amigos de Moita tentaram linchar o diplomata, que foi protegido pela polícia. O taxista está em repouso absoluto e não pôde dar entrevista.Sua filha, a secretária Rita de Cássia Moita, de 43 anos, contou que, segundo o pai, a briga começou quando o vice-cônsul tentou estacionar o carro numa vaga, na qual o motorista, que levava dois turistas para ver o Cristo Redentor, já estava manobrando.?O vice-cônsul se irritou e fez gestos obscenos para meu pai, que pediu respeito para com as mulheres que estavam lá. Há várias testemunhas que atestam que meu pai não jogou pedra alguma no carro.?Rita afirma que Moita trabalha há 21 anos na cooperativa de táxi Corcovado Car Service e que nunca passou por semelhante incidente. ?Foi Deus que o salvou. Ele poderia estar morto.?O vice-cônsul não dá entrevista, porque, segundo a assessora de imprensa do Consulado de Israel, Efi Beck, ele está no Brasil há menos de dois meses e não sabe falar português. Efi refutou as acusações do taxista, mas admitiu que Amir o agrediu, ?para proteger o filho?.?O vidro estilhaçado poderia ter machucado o bebê. Ele reagiu como qualquer pai, mas não queria machucar o motorista?, afirmou Efi, ressaltando que o vice-cônsul gosta muito do País e dos brasileiros e está ?muito chateado? com o que aconteceu.A criança não foi ferida. Após a briga, o vice-cônsul registrou queixa na 7ª Delegacia Policial (Santa Teresa), mas o caso pode se voltar contra ele. A polícia já tem base para instaurar um inquérito para apurar as circunstâncias da agressão, o que pode acontecer nesta quinta-feira.O consulado informou que vai tomar todas as providências para defender o diplomata no caso de ele ser indiciado. Não foi a primeira vez que o Consulado de Israel se viu envolvido em problemas com a polícia.Em julho do ano passado, o cônsul-adjunto de Israel no Rio, Arie Scher, foi acusado de pedofilia e de integrar uma rede de exploração de turismo sexual envolvendo menores.Em seu apartamento foram encontradas fotos de menores nuas, além de fitas de vídeo e dezenas de fotos em que apareciam Scher, um professor de hebraico e menores abraçados, todos nus.Numa delas, uma menina aparecia sobre um carro com placa do consulado. O cônsul-adjunto foi denunciado por uma jovem de 17 anos, que viu suas fotos na Internet. Scher fugiu para Israel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.