Vice de Itu nega envolvimento em morte em depoimento

O vice-prefeito de Itu, Élio de Oliveira Júnior, foi ouvido nesta terça à noite pelo delegado Nicolau Santarém no inquérito que apura a morte do advogado Humberto da Silva Monteiro, assassinado no final de janeiro. Ele disse que compareceu à delegacia de livre e espontânea vontade para colaborar com o esclarecimento do crime.Oliveira Júnior tinha sido apontado pelo prefeito da cidade, Herculano Passos Júnior, como provável mandante do assassinato. O vice-prefeito convocou a imprensa para falar sobre o assunto mas cancelou a coletiva ao ser informado de que o jornalista Josué Dantas Filho, que sobreviveu ao atentado, estava presente. Dantas parou o carro com marcas de tiros na frente do local reservado para a coletiva e estendeu uma faixa com os dizeres: "mataram um inocente".O vice-prefeito falou à imprensa quando deixava a delegacia, e voltou a negar envolvimento no caso. Disse que procurou o delegado porque teve o nome citado pelo prefeito. "Fui incriminado, julgado e condenado sem ser ouvido". Perguntado sobre a razão de ter rompido com Herculano Júnior, disse que tinha sido traído pelo prefeito mas não deu mais explicações.O advogado de Oliveira Júnior, Laertes de Macedo Torrens, afirmou que irá tomar medidas judiciais contra os que acusaram seu cliente. O delegado Santarém, não comentou o conteúdo do depoimento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.