Viciado em coca degola avó - desta vez em Volta Redonda

Em crise de abstinência de cocaína, o adolescente B.S.C.E., de 16 anos, degolou nesta quinta-feira de manhã a avó, Tereza Lucas da Silva Costa, de 59. anos O crime foi em Volta Redonda, na Região do Médio Paraíba. B. morava na Alemanha com os pais e veio para o Brasil há dois meses, a pedido da avó, que tentava livrá-lo do vício da droga levando-o à igreja.O crime foi na sala da casa da avó, no número 85 da Rua Novo México, por volta das 6horas. O bairro, Santo Agostinho, fica numa área de classe média da cidade. B. e a avóestavam sozinhos na casa, onde mora também o tio do rapaz, Lamartine da Silva Costa,de 36 anos, que dormira fora.Segundo a polícia, B. e Tereza discutiram, e o rapaz pegou uma faca na cozinha e a degolou. Em seguida, colocou a cabeça num saco plástico. B. teria jogado o saco no Rio Paraíba do Sul. Bombeiros percorreram o rio em busca da cabeça, mas não a haviam encontrado até o início da noite desta quinta.O corpo também não havia sido liberado para enterro. Ao chegar em casa, o tio de B. ainda se encontrou com o sobrinho na varanda, quandoele saía com o saco nas mãos. B. virou-se para o tio e disse apenas a frase: ?Você temJesus??Na sala, Costa deparou-se com a cena trágica: a mãe, degolada, ajoelhada do lado do sofá. Mais tarde, ainda em estado de choque, declarou: ?Ele (B.) não é normal. Ele é um monstro.? Depois de livrar-se da cabeça da avó, B. ainda voltou para casa. Ao encontrar novamente o sobrinho, Costa perguntou: ?Por que você fez isso?? B. nãorespondeu e foi tomar banho. A polícia chegou em seguida.O chamado foi dos vizinhos, que, aos gritos de ?assassino?, tentaram linchá-lo quandoele era levado para a delegacia. O garoto foi encaminhado para um hospital, cujo nomenão foi divulgado por razões de segurança, e está sob custódia da Justiça.A Secretaria de Saúde de Volta Redonda informou que B. e a avó haviam passado a última terça-feira na unidade de desintoxicação de dependentes químicos da cidade, em busca de tratamento. Ele chegou de manhã, transtornado, sob efeito dacocaína. Foi medicado e, à tarde, liberado.Tereza ainda voltou na quarta-feira, para seinformar mais sobre métodos de recuperação. Os médicos a aconselharam a inscrevê-lo no Grupo de Apoio à Infância e Adolescência (Gaia). Segundo a chefe do Serviço de Inteligência da delegacia de Volta Redonda, Luzia Machado, uma tia de B.,em depoimento, contou que, naquela noite, B. disse que tentaria o suicídio se jogandono rio.A equipe que o atendeu no hospital disse nesta quinta que B. foi levado para a Alemanhapelos pais aos 5 anos. A avó, mãe de sua mãe, foi contra. Queria que o neto fosse criado perto dela e chegou a brigar com a filha por causadisso. Os médicos disseram ainda que Tereza era carinhosa e se preocupava muito com o envolvimento de B. com as drogas.Ela acobertava o que ele fazia. O rapaz jáhavia tido duas passagens pelo Conselho Tutelar e tinha sido internado no Instituto Padre Severino, para menores infratores. É para lá que B. irá agora.Este é a segunda vez que um neto mata a avó no Estado do Rio neste mês. No dia 2, também sob o efeito da cocaína, o adolescente A.F.C.M., de 16 anos, esfaqueou a avó na casa dela, na Ilha do Governador, zona norte da capital. IaraFilgueiras, de 76 anos, estava dormindo, quando foi acordada com o neto tentando arrombar o armário onde havia dinheiro.Ela tentou impedir e acabou recebendo os golpes. O jovem roubou R$ 20 e eletromésticos para comprar drogas. Horas antes, ele tinha espancado a mãe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.