Viciados em compras

Se você adora comprar, está no lugar certo. E na época certa. Principalmente nestas semanas de liquidação, São Paulo tem opções de todos os tipos. Um bom roteiro é encarar logo de manhã a região da Rua 25 de Março, no centro. É o paraíso para quem está atrás de brinquedos, bijuterias, tecidos, objetos de decoração, embalagens e mais uma infinidade de coisas. Guarde fôlego para subir cheia de sacolas a Ladeira Porto Geral e tomar um expresso do Café Girondino (Rua Boa Vista, 365, tel.: 3229.4574 ), bem em frente do Mosteiro de São Bento. De lá, se estiver com pique, siga até a Rua José Paulino. Nela e nas cinco ruas próximas, estão 2.700 lojas e milhares de compradores - principalmente mulheres - em busca de roupas e acessórios que chegam a ter preços até 70% mais baixos que os shoppings. O Bom Retiro oferece mais conforto, limpeza e organização que o Brás, o maior e mais popular centro de compras de São Paulo, também na região central. Lá, 55 ruas comerciais, com 6 mil estabelecimentos, atraem meio milhão de pessoas e faturam R$ 25 milhões por dia. E oferecem de tudo - produtos alimentícios, vinhos, madeira, couro e roupa, entre outras mercadorias. Mas o grande chamariz são as confecções, que atraem sacoleiras de todo o País, lojistas e até compradores eventuais, em busca de pechinchas, como vestidos por R$ 10 e jeans por R$ 45. Roupas de cama, toalhas de banho e mesa, enxoval de bebê e peças de vestuário são alguns artigos que estão à venda nas lojas localizadas na região, que vai do Largo da Concórdia à Rua Oriente.Mas a cidade tem muito mais do que apenas comércio popular. Está em busca de algo mais chique? Vá direto às Ruas Oscar Freire e Haddock Lobo, nos Jardins. É lá que estão as lojas das grandes grifes nacionais e estrangeiras. Prefere lugar fechado? Duas boas opções são o Shopping Iguatemi (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.232, tel.: 3816-6116), o primeiro da cidade, e a Daslu (Rua Chedid Jafet, 131, tel.: 3841-4000). Calma que ainda não acabou. São Paulo tem nada menos que 51 shoppings centers, espalhados por todas as regiões, além de centenas de outlets e pontas de estoque das próprias grifes, que vendem peças de coleções passadas com belos descontos. Em algumas épocas do ano, há ainda os bazares. Os endereços dos mais tradicionais correm de boca-a-boca. Ainda não foi a nenhum? Pesquise com conhecidos. Alguém certamente terá um bom achado a revelar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.