Vigia que matou adolescente vai a júri em São Paulo

Começou nesta quinta-feira, 31, o julgamento do ex-vigia Carlos Almir Oliveira Souza, de 27 anos, acusado de assassinar a tiros o adolescente Guilherme Mendes de Almeida, de 15 anos. O crime aconteceu em maio de 2004, na Praça Vicentina de Carvalho, no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital paulista. Souza será levado a júri popular por homicídio duplamente qualificado. O estudante foi morto com cinco tiros depois de ter reclamado que o vigia dirigia em alta velocidade pelas ruas do bairro. Cinco amigos dele presenciaram o crime. O vigia desceu do carro armado com uma pistola e mandou os adolescentes levantarem as blusas para ver se não portavam armas. O assassino apontou o revólver para Guilherme e disse: "O alemão de touca vem pra cá e os outros não olhem para trás". Guilherme tentou dialogar com o segurança e argumentou: "Eu só pedi para você trafegar mais devagar".As testemunhas ouviram os disparos que atingiram Guilherme no maxilar, pescoço, peito e duas vezes nas costas. Nove testemunhas serão ouvidas, sendo cinco de acusação e quatro de defesa. A previsão é de que o julgamento, presidido pelo juiz Cassiano Ricardo Zorzi Rocha, termine na madrugada de sexta-feira, 1º.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.