Vigilância fecha clínica de acupuntura em Sâo Paulo

A Vigilância Sanitária do Estado fechou uma das duas clínicas de acupuntura do coreano Hak Teok Yon Su Sin, conhecido como professor Ricardo.No consultório da Rua Luís Góis, em Vila Clementino, zona sul de Sâo Paulo, os técnicos lacraram as portas após flagrante de prática ilegal da técnica oriental.Em outro endereço, na Rua Eça de Queirós, a vigilância determinou o fechamento parcial, o que impede a venda de produtos como as agulhas descartáveis.Segundo o técnico responsável pela ação, Paulo Nakano, as clínicas não são reconhecidas pela Vigilância Sanitária, e o material usado não tem registro no Brasil.O fechamento da clínica é resultado de uma denúncia do Ministério Público do Estado. Tudo começou com uma carta enviada ao ministro da Saúde, José Serra, pelo professor Ricardo, em que ele punha à disposição seu método, capaz de curar doenças graves como câncer.Os promotores acusam Su Sin de charlatanismo, curandeirismo e propaganda enganosa e prejudicial à saúde dos clientes.Procurado nesta sexta-feira pela reportagem, o professor não quis falar sobre o fechamento das clínicas. Su Sin seria formado em medicina oriental na Coréia, curso que não seria reconhecido no Brasil.

Agencia Estado,

27 de abril de 2001 | 21h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.