Vigilância registra dois casos de pó branco

A Vigilância Epidemiológica da Direção Regional de Saúde (DIR 12) de Campinas confirmou, nesta quarta-feira, mais dois casos de correspondência com pó branco, que supostamente conteriam a bactéria do antraz.Os novos casos, comunicados nesta quinta à Vigilância, ocorreram no distrito de Sousas, em Campinas, e na cidade de Americana.Nesta quarta-feira, um engenheiro de Valinhos recebeu uma carta com uma pequena quantidade de pó branco. Ele chegou a abri-la e, ao se deparar com o produto, encaminhou-o à Vigilância Sanitária da cidade, que o enviou, lacrado, à DIR.Segundo a Vigilância, a carta de Americana foi jogada, sem selo, no quintal de uma casa.No distrito de Sousas, um morador recebeu uma correspondência da Austrália e não chegou a abrir o envelope porque não tinha conhecidos morando no país da Oceania.Em todos os casos, a Vigilância lacrou o envelope e enviou o conteúdo para análise no Instituto Biológico da Secretaria Estadual de Saúde.A previsão é de que o resultado saia em três dias.A Vigilância pediu ainda que sejam identificados os carteiros que entregaram as correspondências, nos casos de Valinhos e Sousas, para que eles possam receber informações médicas.Segundo a diretora da Vigilância do DIR 12, Márcia Regina Paccola, o morador de Valinhos foi orientado a guardar em um saco plástico as roupas que usava quando abriu a carta.A médica explicou que ele e a família continuam sob orientação médica até que os resultados sejam divulgados. Márcia alerta as pessoas para que não abram nem manipulem correspondências suspeitas, que devem ser encaminhadas à Vigilância.Leia o especial

Agencia Estado,

17 de outubro de 2001 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.