Vigilância sanitária investiga intoxicação em colégio em SP

A Vigilância Sanitária do Município investiga as possíveis causas que provocaram intoxicação em, pelo menos, 33 alunos da Escola Municipal Airton Arantes Ribeiro, em M?Boi Mirim, zona sul de São Paulo. Desde segunda-feira, 26, as crianças têm apresentado vômitos, desmaios, dor de cabeça aguda e tontura, além de manchas vermelhas na pele.Na última segunda-feira, 20 estudantes deram entrada na Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Jardim São Luís, próxima à escola, com sintomas que indicavam intoxicação. Ontem, foi a vez de outros 13 alunos da mesma unidade de ensino serem atendidos na AMA com o quadro de saúde parecido. Os pacientes, com idade até 16 anos, foram medicados e não precisaram ficar internados. As aulas chegaram a ser suspensas no período da tarde, como medida preventiva. A suspeita de alguns pais era que a intoxicação foi motivada por produtos químicos espalhados na escola no último final de semana, para dedetizar o local. A Coordenadoria de Educação de M?Boi Mirim decidiu, então, acionar a Vigilância Sanitária para identificar o que está deixando os meninos doentes, já que a Secretaria Municipal de Educação garantiu que a última dedetização na escola aconteceu no ano passado.HipótesesAo todo, seis técnicos sanitários estiveram na terça na Airton Antunes Ribeiro e, após três horas de investigação, não conseguiram apresentar um laudo conclusivo. De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, a visita dos agentes, em princípio, mostra que a causa da intoxicação dos alunos não é interna da escola. A inspeção inicial não indica que o motivo tenha sido, por exemplo, a merenda escolar ou produtos de limpeza. Entretanto, ainda segundo a vigilância, essas hipóteses não foram totalmente descartadas.Como o mistério da intoxicação escolar em M?Boi Mirim continua, a Vigilância Sanitária vai fazer novas ações investigativas no colégio. Os próximos focos de atuação são as causas externas que podem ter provocado os vômitos, tonturas, desmaios e coceiras nos estudantes. A partir desta quarta, os técnicos vão visitar todos os estabelecimentos vizinhos, inclusive as casas dos alunos da escola Airton Arantes Ribeiro. A Secretaria de Saúde informou também que as fábricas e depósitos próximos à escola vão fazer parte das investigações. Ainda não há uma data para os laudos conclusivos e as aulas nesta quarta acontecem normalmente.

Agencia Estado,

28 de março de 2007 | 13h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.