Vigilante invade escola e atira em professor no litoral do Ceará

Crime ocorreu, segundo testemunhas, por ciúme de namorada, que tem aulas com a vítima; vigia foi preso

Carmem Pompeu, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2008 | 15h42

O vigilante Stênio Gomes Duarte invadiu uma escola pública, na noite de segunda-feira, e atirou contra o professor Jorge Diego Albuquerque, de 25 anos, em plena sala de aula. O crime aconteceu na Escola Vicente Vasconcelos, em Paraipaba, a 90 quilômetros de Fortaleza, no litoral oeste do Ceará. De acordo com testemunhas, Stênio atirou no professor por ciúmes da namorada. Segundo Antônio Carlos, vigia da escola, Stênio pediu para falar com a garota, uma adolescente que é aluna de Jorge Diego. Quando este foi chamá-la, o vigilante entrou sem ser percebido indo direto à sala onde o professor estava dando aula. Sem falar nada, Stênio atirou contra Jorge Diego, que, mesmo baleado, conseguiu fugir por uma janela. Socorrido por populares, ele foi levado para o Instituto Dr. José Frota (IJF), em Fortaleza, onde permanece internado. Stênio foi preso logo em seguida na casa da namorada e autuado em flagrante por tentativa de homicídio. Adriana Vieira, mãe da adolescente, disse que Stênio agiu por ciúmes. "Ele viu o caderno dela com o nome do professor; um dinheiro, que ela estava arrecadando para uma gincana do colégio. Acho que ele ficou com ciúmes por causa disso", disse Adriana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.