Viola rejeita comida na cadeia

Arroz, feijão e picadinho no domingo; dobradinha e salada hoje. Estes foram os cardápios rejeitados pelo jogador de futebol Paulo Sérgio Rosa, o Viola, de 37 anos, preso há dois dias na Cadeia Pública de Barueri, Grande São Paulo. O ex-atacante do Corinthians e da seleção está detido porque foi flagrado com uma espingarda calibre 12 em seu Honda Civic, após discutir com a ex-mulher, Leila Rosa Celino, de 34 anos.Viola foi preso na madrugada de domingo, dia do seu aniversário, em um condomínio de luxo de Santana de Paranaíba e autuado por porte ilegal de arma. Seu advogado, Willian Wagner, entrou nesta tarde com pedido de relaxamento da prisão. Até as 20 horas, a Justiça ainda não o havia apreciado.Segundo o delegado seccional de Barueri, Wagner Lombisani, o jogador permanecia em cela isolada, não fazia greve de fome, mas estava sem comer e alegava inocência. Viola contou que não portava a espingarda quando foi à casa da ex-mulher para buscar o filho, com quem queria comemorar seu aniversário. Ele afirmou que a arma estava em seu Honda Civic, deixado dias antes na garagem da casa de Leila. Uma fita gravada no condomínio mostra que Viola chegou a pé ao local. O jogador teria retirado a espingarda do seu sítio em São Roque porque um irmão que enfrenta problemas de depressão está na propriedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.