Violência atinge metade dos paulistanos

Um em cada dois paulistanos sofrerá violência em sua vida adulta. Dois em cada dez moradores de São Paulo sofreram algum tipo de violência nos últimos 12 meses. Apenas um em cada dois paulistanos assaltados vai à delegacia para prestar queixa. Quase 70% dos roubos, furtos e agressões não chegam ao conhecimento da polícia. As pessoas não procuraram as delegacias com medo dos criminosos e por não acreditarem na eficiência da polícia. O perfil das vítimas da violência na capital faz parte de uma pesquisa do Instituto Futuro Brasil (IFB) preparada nos últimos 12 meses.Os pesquisadores entrevistaram 20 mil pessoas, em 5 mil residências. O estudo, que será apresentado nesta sexta-feira no Seminário de Vitimização, mostra que dois em cada dez jovens, entre 16 e 25 anos, afirmaram terem sido desrespeitados durante revistas policiais. Oito em cada cem adolescentes disseram terem sido agredidos ou maltratados pela polícia.O clima de apreensão por causa da violência fica claro no resultado do estudo: 11% dos paulistanos acham que podem confiar nas pessoas e 89% julgam mais prudente ficar sempre com "um pé atrás". Das pessoas ouvidas, 73% disseram sentir medo quando pensam na violência e 63% procuram evitar pensar no assunto; 30% têm dificuldades para dormir por causa da violência e 57,9% já foram vítimas da violência pelo menos uma vez na vida.Mas, na opinião sobre a polícia, nem tudo está perdido. Aproximadamente 35% dos entrevistados que precisaram da ajuda da polícia nos últimos 12 meses informaram que o atendimento dos policiais civis e militares foi bom. Outros 21% disseram que a qualidade do atendimento foi abaixo do esperado e 44% disseram ter recebido o auxílio esperado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.