Violência custou R$ 500 milhões em abril ao comércio do Rio

A violência causou em abril um prejuízo de R$ 500 milhões aos comerciantes do Rio, segundo cálculos do presidente do Sindicato dos Lojistas do Município do Rio, Aldo Carlos de Moura Gonçalves, provocado, principalmente, pelo fechamento do comércio por ordem de traficantes.A Federação de Comércio informou que só no dia 30 de setembro do ano passado, quando uma onda de boatos fez com que vários bairros fechassem suas lojas, o prejuízo foi de R$ 130 milhões.Revoltados com essa situação, representantes do setor se reuniram nesta segunda-feira com o chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, para cobrar mais segurança. No auditório do sindicato, no Centro, Lins anunciou que, em quatro meses, será implantado um ?corredor de segurança? nos bairros onde há grande concentração de comércio, como Centro, Méier (zona norte), Bangu, Campo Grande (zona oeste) e Copacabana (zona sul).?Serão ilhas de excelência de policiamento, com câmeras instaladas em vários pontos (a serem definidos pela polícia) e mais viaturas patrulhando as áreas.? O chefe de polícia prometeu rigor na punição das pessoas que mandam fechar as lojas por ordem de traficantes. ?O comércio tem sido alvo dessas atividades criminosas. Toda pessoa que for pega como mensageira do tráfico, será autuada por associação para o tráfico e fica presa sem direito a pagamento de fiança.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.