Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Violência derruba major da PM e deixa mais feridos no Rio

Cabral demitiu porta-voz da polícia; moradores da zona norte são baleados em tiroteio e 6 corpos são achados

estadao.com.br,

23 de outubro de 2009 | 13h03

A forte onda de violência no Rio de Janeiro tem provocado desdobramentos novos a cada dia. Nesta sexta-feira, 23, seis corpos foram encontrados na zona oeste da cidade, o governador do Estado, Sérgio Cabral, exonerou o porta-voz da Polícia Militar e o clima é tenso em morros da zona norte por causa de operações policiais que provocam intensos tiroteios. Ao menos quatro pessoas ficaram feridas.

 

Veja também:

linkBala perdida vinda do morro causa incêndio em prédio no Rio

linkCompetição no mercado de drogas nutre violência no Rio, diz 'Economist'

linkRepórter do 'El País' diz que foi capturado em morro do Rio

mais imagens Imagens de uma guerra não tão particular

 

O chefe do setor de Relações Públicas da Polícia Militar, major Oderlei Santos Alves de Sousa, foi demitido nesta manhã após minimizar a participação de dois PMs na morte do coordenador do AfroReggae, Evandro João da Silva, assassinado na madrugada de domingo após um assalto. Os agentes ainda roubaram os pertences da vítima levados pelos criminosos, que não foram presos. Cabral disse que o major se comportou como advogado dos policiais e que este não era o seu papel.

 

Na zona norte, agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do 16.º Batalhão (Olaria) fazem operações em três morros. Eles estão no local a procura de armas, drogas e do traficante Fabiano Atanázio, o FB, acusado de liderar a invasão ao Morro dos Macacos, em Vila Isabel, que iniciou a guerra que já matou mais de 35 pessoas na capital fluminense.

 

Um homem de 57 anos e um ex-combatete da FEB ficaram feridos durante o intenso troca de tiros entre os policiais e traficantes na Vila Cruzeiro, na Penha. Mais duas pessoas foram baleadas, mas não há informações de quem seriam nem sobre o estado de saúde. A Polícia Militar também ocupa o Complexo de Manguinhos e a Favela do Jacaré.

 

Mais cedo, seis corpos foram encontrados na Favela do Fumacê, em Realengo, zona oeste do Rio. Não há informações sobre se essas vítimas teriam algum envolvimento com os confrontos na zona norte. Dois corpos estavam em uma lixeira e outros quatro numa casa da comunidade e foram localizados após uma denúncia, de acordo com policiais militares do 14.º Batalhão. Os corpos ainda não foram identificados.

 

Prisões

 

Dois acusados de terem participado da tentativa de invasão ao Morro dos Macacos foram presos na quinta-feira. Os policiais do 16.ºBPM encontraram os suspeitos na Cidade Alta, em Cordovil. Além disso, também foram apreendidos cinco menores usuários de drogas, além de 223 trouxinhas de maconha, 362 sacolés de cocaína, 68 pedras de crack, 19 bolinhas de haxixe e uma pistola 765. O material foi apresentado na 38ª DP.

 

No último sábado, traficantes do Comando Vermelho (CV) teriam tentado dominar o Morro dos Macacos para controlar o gerenciamento do tráfico, comandado pela facção Amigo dos Amigos (ADA). O confronto provocou a queda de um helicóptero da Polícia Militar, matando três agentes.

 

Atualizado às 14h54 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.