Violência no Rio deixa nove mortos

Pelo menos nove pessoas foram assassinadas na madrugada desta segunda-feira, entre elas três policiais militares, no Rio e em municípios da Baixada Fluminense. Outras nove foram feridas. Em Padre Miguel, na zona oeste do Rio, os policiais militares do 14º Batalhão Jocélio Soares de Oliveira e Jorge Luiz Pedrosa foram atingidos na localidade conhecida como Beco da Farinha, no início da madrugada. Segundo moradores, eles dormiam no carro.Oliveira levou um tiro na cabeça e morreu na hora, Pedrosa recebeu três tiros nas costas e foi levado para o hospital Albert Shweitzer, em Bangu. Durante o dia ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) e seu estado de saúde inspira cuidados. Em Jacarepaguá, na zona oeste, o sargento PM Paulo Roberto Soares Fernando, de 48 anos, foi morto com quatro tiros durante uma tentativa de assalto na Rua Araguaia. Ele estava à paisana quando foi abordado por ocupantes de um Vectra vermelho, de onde saíram pelo menos 10 disparos, segundo testemunhas. Foi atingido nas pernas, braços e abdômen e morreu antes de chegar ao hospital Lourenço Jorge.Em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, o cabo do 4º Batalhão, Luiz Claudio Patrício Silva, de 35 anos, foi assassinado por homens encapuzados. Ele estava com a mulher e ia fazer um exame médico, quando foi atingido.Ainda na Baixada Fluminense, a PM matou três jovens depois de um suposto confronto na Via Dutra, na altura de Nova Iguaçu. Segundo a polícia, eles reagiram a tiros à abordagem da PM. Apenas um deles foi identificado - Pedro Darlan de Souza Benedito, de 18 anos. Três revólveres foram apreendidos. Em Quintino, na zona norte carioca, cinco pessoas foram baleadas próximo a Igreja São Jorge. As vítimas foram socorridas no Hospital Salgado Filho, no Méier. Policiais do 9º BPM procuraram os atiradores, mas não tiveram sucesso nas buscas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.