AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Violência no Rio deixa nove mortos

Pelo menos nove pessoas foram assassinadas na madrugada desta segunda-feira, entre elas três policiais militares, no Rio e em municípios da Baixada Fluminense. Outras nove foram feridas. Em Padre Miguel, na zona oeste do Rio, os policiais militares do 14º Batalhão Jocélio Soares de Oliveira e Jorge Luiz Pedrosa foram atingidos na localidade conhecida como Beco da Farinha, no início da madrugada. Segundo moradores, eles dormiam no carro.Oliveira levou um tiro na cabeça e morreu na hora, Pedrosa recebeu três tiros nas costas e foi levado para o hospital Albert Shweitzer, em Bangu. Durante o dia ele foi transferido para o Hospital Central da Polícia Militar (HCPM) e seu estado de saúde inspira cuidados. Em Jacarepaguá, na zona oeste, o sargento PM Paulo Roberto Soares Fernando, de 48 anos, foi morto com quatro tiros durante uma tentativa de assalto na Rua Araguaia. Ele estava à paisana quando foi abordado por ocupantes de um Vectra vermelho, de onde saíram pelo menos 10 disparos, segundo testemunhas. Foi atingido nas pernas, braços e abdômen e morreu antes de chegar ao hospital Lourenço Jorge.Em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, o cabo do 4º Batalhão, Luiz Claudio Patrício Silva, de 35 anos, foi assassinado por homens encapuzados. Ele estava com a mulher e ia fazer um exame médico, quando foi atingido.Ainda na Baixada Fluminense, a PM matou três jovens depois de um suposto confronto na Via Dutra, na altura de Nova Iguaçu. Segundo a polícia, eles reagiram a tiros à abordagem da PM. Apenas um deles foi identificado - Pedro Darlan de Souza Benedito, de 18 anos. Três revólveres foram apreendidos. Em Quintino, na zona norte carioca, cinco pessoas foram baleadas próximo a Igreja São Jorge. As vítimas foram socorridas no Hospital Salgado Filho, no Méier. Policiais do 9º BPM procuraram os atiradores, mas não tiveram sucesso nas buscas.

Agencia Estado,

01 de maio de 2006 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.