Violência no Rio vai persistir por algum tempo, prevê PF

A violência no Rio ainda vai continuar por algum tempo, mesmo com as ações emergenciais do Estado e União. A avaliação é da própria Polícia Federal, que nesta quarta-feira recebeu R$ 20 milhões para serem aplicados em operações e equipamentos de inteligência. "Não vamos ter resultados a curto prazo. Não podemos, ainda, cobrar os próximos capítulos", afirmou o superintendente da PF no Rio, Roberto Precioso Junior.Segundo ele, a curva dos crimes violentos continua crescendo pelo fato de as quadrilhas estarem se renovando. Segundo Precioso, os grupos criminosos no Rio estão passando por um processo de substituição, o que também causa uma onda de crimes violentos. "É também uma reação à queda das lideranças", afirmou o superintendente, que não estipula prazos para que o trabalho das polícias tenham resultados.Setores do governo federal pretendem fazer a primeira avaliação em agosto, quando deve ser criada a nova força tarefa nacional, unindo policiais de todas as forças. Atualmente, a PF está fazendo um mapeamento das novas quadrilhas que surgem no Rio.Precioso afirmou que a ocupação social dos morros e favelas do Rio - uma promessa do governo local após a morte do jornalista Tim Lopes, há um ano - também não será imediata. "Este tipo de trabalho tem que ser gradativo", ressalta o delegado, que aponta falhas de governos anteriores na educação, saúde e segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.