Wilton Júnior/ Estadão
Wilton Júnior/ Estadão

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Violência se intensificou no Rio após intervenção federal, diz estudo

Somente nas últimas 24h, Fogo Cruzado registrou um tiroteio ou disparo de arma de fogo a cada 40 minutos na cidade

Roberta Jansen e Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2018 | 15h41

RIO - A intervenção federal na segurança do Rio não reduziu o número de tiroteios/disparos de armas de fogo na região metropolitana do Rio. Novos dados do serviço Fogo Cruzado mostram que a violência se intensificou na cidade. 

De acordo com os números, houve 2309 tiroteios ou disparos de arma de fogo na Região Metropolitana nos 3 meses após a intervenção. No mesmo período do ano passado - 16/02 a 15/05 de 2017 -, foram 1239 notificações. Houve, portanto, um aumento de 86% nos registros de tiroteios/disparos. 

+++ Em abril, polícia do Rio mata mais de cem e letalidade sobe 26,3%; roubos caem

A Praça Seca foi o bairro da região metropolitana que mais registrou tiroteios/disparos de arma de fogo (100), seguido de Cidade de Deus (68), Rocinha (68), Complexo do Alemão (65) e Vila Kennedy (63). Somente nas últimas 24h, o Fogo Cruzado registrou um tiroteio/disparo de arma de fogo a cada 40 minutos na região metropolitana do Rio de Janeiro. Foram 36 notificações nesta quinta (17). Ao menos 3 pessoas morreram e 7 ficaram feridas. 

Na última quarta-feira, 16, o serviço havia divulgado uma outra comparação entre os três meses de intervenção federal na segurança do Rio e os três meses anteriores à intervenção: de 1842 episódios de disparos ou tiroteios, o número saltou para 2309, um aumento de 25,3%

A comparação foi feita entre os períodos de 16 de fevereiro a 15 de maio e entre 16 de novembro a 15 de fevereiro. Os dados mostram que os tiros aumentaram mesmo na Vila Kennedy, comunidade que recebeu uma série de operações das Forças Armadas e da polícia no escopo da intervenção. O crescimento foi de 61%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.