Viracopos registra novo vazamento de carga química

Um novo vazamento de produto químico ocorreu neste domingo à noite no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, desta vez em um avião cargueiro da empresa Varig. Sete funcionários do aeroporto, que tiveram contato com a carga, receberam atendimento no ambulatóriomédico de Viracopos, três foram liberados em seguida e quatro ficaramem observação até as 7 horas desta segunda-feira.Segundo a Assessoria de Imprensa da companhia aérea, o vazamentoocorreu no interior da aeronave, em um dos 10 tambores de ácido hidrobromico, produto corrosivo não tóxico e de baixa periculosidade. Ovôo 8993 havia saído de Nova York, nos Estados Unidos, feito escala em Porto Alegre e Rio de Janeiro, antes de chegar a Campinas. O material seria levado para Manaus. Ao perceber o vazamento, a Varig acionou o plano de segurança doaeroporto. Os Bombeiros foram chamados para remover a carga para umlocal seguro, informou a Assessoria de Imprensa de Viracopos. Até ofinal da tarde, a aeronave permanecia isolada para limpeza. Segundo a Assessoria, não havia previsão do horário em que seria liberada para retomar o vôo. A Varig informou que a limpeza já havia sido feita e que técnicosestavam vistoriando a aeronave para verificar detalhadamente asconseqüências do vazamento antes de liberar o vôo. A companhiaadiantou, porém, que ?aparentemente? o produto não danificou o avião. E informou que as causas do acidente seriam averiguadas. Ainda de acordo com a Assessoria de Viracopos, o material foiimportado pela Radiadores Visconde. Na sexta-feira, o vazamento doproduto químico Surfynol no Terminal de Importação causou intoxicação leve em 15 funcionários do Aeroporto. Segundo a Assessoria de Viracopos, no ano de 2002 78.553 toneladas decarga passaram pelo terminal aéreo, das quais apenas 1,45 mil toneladasde cargas especiais, como são chamados os produtos tóxicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.