Virada Esportiva reunirá 400 atividades em 24 horas

Paulistano terá chance de praticar esportes pouco divulgados, como o futebol americano

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2021 | 00h00

São 400 atividades espalhadas em 230 locais da cidade durante 24 horas horas ininterruptas. Às 14 horas do sábado, começa a Virada Esportiva, o maior evento do gênero já planejado em São Paulo, com um leque de opções tão variado, que o paulistano terá a oportunidade de entrar em contato com esportes pouco divulgados no País, como o futebol americano, que às 18 horas do sábado ganha a quadra do Centro Olímpico, do Ibirapuera, na zona sul. Mais do que fazer o paulistano se mexer, o evento tem o objetivo de incentivar o gosto pela atividade esportiva. "Ninguém faz nada forçado", diz Walter Feldman, secretário de Esportes. A idéia é despertar afinidades. Só assim o paulistano irá adotar uma atividade física e incorporá-la em sua rotina." Parques, praças e ruas transformam-se em palco para atividades temáticas. Na zona oeste, o Memorial da América Latina, por exemplo, vira uma espécie de quartel dos esportes radicais. Tirolesa, escalada e half-pipe, entre outros, podem ser praticados ininterruptamente até o evento acabar. Na Represa de Guarapiranga, na zona sul, ocorrem provas de velas; no Parque Villa Lobos, na zona oeste, esportes de praia; e na Praça do Pôr-do-Sol, na zona oeste, práticas zens, como a ioga (veja quadro acima). BOÊMIOS A programação atinge até os paulistanos mais boêmios. A Vila Madalena, na zona oeste, fica ainda mais agitada. Além do movimento normal dos bares, estão previstas atividades de rua. A partir das 20 horas de sábado, a Rua Aspicuelta transforma-se numa grande pista de dança, e a Travessa Alonso, mais conhecida como o Beco do Batman, centraliza os jogos de salão, como dados e carteado (com destaque para o truco), durante toda a noite. Na Rua Belmiro Braga, a diversão é pebolim, tranca, skate e basquete - no sábado, das 14 horas às 22 horas, e no domingo, das 9 horas às 14 horas. O tour ciclístico noturno, liderado pelo Night Bikers, especializado nesse tipo de passeio, oferece uma oportunidade para se conhecer São Paulo de um jeito diferente. A saída está prevista para a meia-noite no Parque das Bicicletas, na zona sul. O tour de 66 quilômetros passa pelo Parque da Independência, na zona sul, Estação da Luz, no centro, Memorial da América Latina, na zona oeste, e Jockey Club, na zona sul. Quem não tem disposição de suar a camisa, mas adora futebol vai se divertir no Estádio do Pacaembu. Ali, disputa-se o futebol dos empresários, entre eles, João Dória Júnior, que entra em campo à meia-noite. Às 16 horas, no mesmo campo, joga o grupo de rock CPM22. Roger Rocha Moreira, do Ultraje a Rigor, é um dos jogadores convidados. QUALIDADE DE VIDA "A atividade física regular facilita o controle de peso e aumenta o nível de colesterol bom (HDL) do sangue, da massa óssea e do rendimento cardiovascular. Isso significa menor risco de enfarte e derrame cerebral", diz Victor Matsudo, coordenador científico do Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, um dos parceiros da Virada Esportiva. E uma boa notícia para os paulistanos: São Paulo não é a cidade mais sedentária do País. Segundo uma pesquisa feita em 16 capitais, ela é a sétima do ranking. A líder é João Pessoa, seguida de Fortaleza e Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.