Viradão Carioca oferece 524 atrações culturais gratuitas até domingo

Maratona mescla música, teatro, dança e circo; Marcelo D2, Lulu Santos e Pitty são alguns dos shows

Roberta Pennafort, de O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2010 | 19h13

RIO - Começou nesta sexta-feira, 23, com samba, hip hop, reggae e funk a segunda edição do Viradão Carioca, maratona cultural que até domingo à noite levará 524 atrações gratuitas a palcos de toda a cidade, da praia do Leme a Rio das Pedras, favela da zona oeste. Inspirada na Virada Cultural de São Paulo, o evento tem em seu elenco nomes consagrados e iniciantes. São mais de 50 horas de duração.

 

No ano passado, na estreia do Viradão, a Praça 15, no Centro, foi um dos pontos de maior concentração de público. Nesta sexta, quem abriu os trabalhos por lá foi a sambista Dona Ivone Lara; em seguida, estavam programados Preta Gil, Marcelo D2, Cidade Negra e, por fim, o DJ Marlboro; na Penha, foi levado um palco itinerante, onde tocaria o Época de Ouro.

 

Os artistas aproveitam o Viradão para mostrar novas músicas a um público diversificado. Mas também procuram cantar seus sucessos, conhecidos por fãs ou não. Boa parte já se apresentava na Virada de São Paulo, como a carioca Sandra de Sá e a paulistana Mariana Aydar. As duas cantam neste sábado no Centro: Sandra, na Praça 15, e Mariana, na Cinelândia.

 

Realizado pela prefeitura, o Viradão tem ainda apresentações de peças teatrais e espetáculos de dança e de circo. A meta é oferecer opções dos mais diversos estilos a cariocas de todas as classes, em especial àqueles que não têm dinheiro para consumir cultura. Dez dos palcos foram montados em comunidades carentes, entre elas, Maré, Tavares Bastos, Providência e Mangueira.

 

O evento também ocupa praças (com exibições de filmes em telões), igrejas (concertos de câmara), teatros (peças adultas e infantis e musicais) e bibliotecas (leituras e debates). A música é mesmo o forte - são 141 atrações, entre cantores, grupos e instrumentistas. Os maiores nomes são Milton Nascimento (que fará show no domingo, na Praça 15), Lulu Santos (no domingo em Rio das Pedras) e Pitty (no sábado, na Praça 15).

 

Virada paulista

 

O Viradão Carioca é menor do que a Virada Cultural paulistana, que, no ano passado, contou com 800 atrações. Também é mais barato - consumiu este ano por volta de R$ 3 milhões, segundo a Secretaria de Cultura do município, enquanto a de São Paulo custou R$ 5 milhões em 2009. No entanto, enquanto a no Rio a premissa é "ocupar a cidade e integrá-la", em São Paulo as atrações se reúnem preferencialmente no centro.

 

A Virada, marcada para os dias 15 e 16 de maio, está em sua sexta edição. A programação está sendo mantida em sigilo (será divulgada na terça-feira). Já a edição estadual, que se estende por 29 cidades do interior, vai para o quarto ano, e está programada para os dias 22 e 23. Tem confirmadas as presenças de artistas internacionais, como Cat Power e Mano Chao. A banda Sepultura e cantora brasileira radicada em Nova York Bebel Gilberto também estão na lista.

Tudo o que sabemos sobre:
Virada CulturalRioSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.