Vírus causou problemas em navio

Exames indicaram infecção por norovírus, que fica no ar

Tiago Décimo, O Estadao de S.Paulo

17 de janeiro de 2009 | 00h00

Depois de uma semana de análises, o Laboratório Central da Bahia (Lacen) concluiu que foi um micro-organismo do tipo norovírus que provocou mal-estar digestivo em mais de 350 pessoas a bordo do navio MSC Sinfonia, na semana passada. Segundo a coordenadora estadual de Vigilância Epidemiológica das Doenças de Transmissão Hídrica e Alimentar, Maria Elisa Paula de Oliveira, a análise foi feita em duas amostras de fezes coletadas por mulheres que tiveram diarreia, vômito e dor abdominal. "A amostragem é pequena, mas conclusiva." De acordo com Maria Elisa, a análise da água deu negativo para vírus e bactéria. Em carne crua, foi encontrada a bactéria E. coli. Naturalmente presente no intestino humano, quando em contato com o sangue pode causar complicações à saúde. "Mas a bactéria não resiste ao calor. Basta cozinhar o alimento que ela morre."A infecção por norovírus se dá, sobretudo, pelo ar. "Ele se espalha em áreas fechadas ou pouco ventiladas, com aglomeração de pessoas, como navios", diz Maria Elisa. "Os sintomas são diarreia por até 72 horas, às vezes vômito e dor abdominal e, raramente, febre, compatível com o relato dos passageiros."No dia 5, no Recife, uma passageira com distrofia muscular morreu a bordo. Naquele dia começaram a surgir pessoas com sintomas de doença digestiva. O navio chegou a ficar retido em Salvador e só chegou ao Rio no sábado passado.Ontem, a MSC Cruzeiros chegou a convocar entrevista coletiva para esclarecer os episódios. Sem acesso ao laudo oficial da Anvisa, porém, a empresa cancelou o evento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.