Visitas de presidentes americanos ao Brasil

FDR:

, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2011 | 00h00

Franklin Delano Roosevelt, primo de Theodore Roosevelt, veio em 1936, em uma parada no Rio a caminho de Buenos Aires, tendo jantado com Getúlio Vargas e discursado no Congresso. Voltou em 1943, em plena Segunda Guerra Mundial, por causa da Conferência de Casablanca. Passou por Belém e Natal. Em Natal, encontrou-se de novo com Getúlio.

Pós-guerra:

Harry Truman esteve no Rio em setembro de 1947 para participar da Conferência de Petrópolis, que resultou na criação do Tratado Interamericano de Assistência Recíproca (TIAR). Discursou no Congresso, compareceu à parada de Sete de Setembro e foi anfitrião de uma recepção a bordo do USS Missouri.

Herói:

Dwight Eisenhower ficou três dias, em fevereiro de 1960, em Brasília, São Paulo e Rio, em um tour que incluiu também Argentina, Uruguai e Chile. Ao passar pela sede da UNE, no Flamengo, no Rio, viu uma faixa dos estudantes, que dizia: "We like Fidel Castro" ("Gostamos de Fidel Castro"). "Ike" não perdeu o humor e disse ao então presidente Juscelino Kubitschek que também gostava de Fidel. "Ele é que não gosta de mim", brincou. Durante a visita, um avião com a banda da Marinha dos EUA chocou-se com outro da Aerovias, perto do Pão de Açúcar. Sessenta e uma pessoas morreram.

Tensão:

O presidente Jimmy Carter fez em 1978 uma tensa visita a Brasília e Rio de Janeiro, como parte de um tour internacional em direção a Lagos, na Nigéria. A tensão era causada pelo principal ponto da agenda americana à época, a defesa dos direitos humanos, que alarmou a ditadura militar comandada pelo general Ernesto Geisel.

Mancada:

Ronald Reagan marcou sua passagem pelo Brasil - visitou Brasília e São Paulo entre 30 de novembro de 3 de dezembro de 1982 - por uma gafe: uma calorosa referência ao "povo da Bolívia".

Pai:

George H. W. Bush esteve um dia em Brasília, em dezembro de 1990. Foi uma parada em um tour que incluía Montevidéu, Buenos Aires, Santiago e Caracas. Voltou em junho de 1992 para participar de um compromisso internacional: a Conferência Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio-92).

Felicidade:

Em meio ao affair com Mônica Lewinsky, Bill Clinton incluiu Brasília, São Paulo e Rio em um tour de dois dias. Foi a etapa brasileira de um roteiro internacional onde figuravam também Venezuela e Argentina. O destaque foi a passagem de Clinton pelo morro da Mangueira, onde o cantor Jamelão resumiu o estado de espírito do visitante com a recepção festiva: "Ele está mais feliz que pinto no lixo". Depois da presidência, Clinton voltou como conferencista.

Filho:

George W. Bush ficou um dia na Granja do Torto, em Brasília, em novembro de 2005. De lá, foi direito para o Panamá. Voltou ao Brasil em março de 2007, ficando um dia em São Paulo. Depois seguiu para Uruguai, Colômbia, Guatemala, e México.

OUTRAS VISITAS

Antes da presidência:

Dwight Eisenhower, que fora comandante das tropas aliadas na Europa ocidental na Segunda Guerra Mundial, esteve no Brasil em 1946, quando ainda não era presidente. Na visita, ficou famosa a foto em que Otávio Mangabeira beijava a mão de "Ike", feita por Ibrahim Sued.

Entre a eleição e a posse:

Em 1928, depois de eleito e antes de empossado, Herbert Hoover fez um tour pela América Latina que incluiu uma parada no Rio de Janeiro.

Depois da presidência:

Theodore Roosevelt, após deixar o posto na Casa Branca, participou, em 1913/14, de uma expedição pela selva amazônica com o marechal Cândido Rondon. "Ted", como era conhecido, descreveu detalhes da aventura no livro Through the Brazilian Wilderness.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.