Visto dos EUA pode valer por 10 anos

Governos negociam retomada de prazo que valeu até 2000; americanos fazem mutirão para reduzir espera

Lisandra Paraguassú, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

08 Outubro 2008 | 00h00

O governo americano pode, no próximo ano, aumentar o prazo de validade dos vistos de turismo e de negócios para brasileiros dos atuais 5 anos para 10 anos. A medida faz parte de um pacote destinado a acelerar a concessão de vistos no País e ainda está sendo negociada com o Ministério das Relações Exteriores do Brasil. Dentro desse processo, já está funcionando, desde o dia 15, um mutirão nos quatro postos consulares do País - São Paulo, Brasília, Rio e Recife - para reduzir o tempo de marcação das entrevistas, hoje o maior entrave burocrático à concessão de vistos. O visto de 10 anos foi suspenso em 2000, segundo a Embaixada dos Estados Unidos, porque o governo brasileiro encurtou o prazo de validade para americanos. De acordo com o embaixador dos EUA, Clifford Sobel, já foi feito um "acordo verbal" com o governo brasileiro para adotar a mudança, caso se retire a taxa hoje cobrada para vistos de negócios para os americanos. A esse visto de negócios americano, será agregado o de turista. "É uma meta ainda, não um acordo fechado. Mas nosso compromisso é real", diz Sobel. Desde o dia 15 de setembro, 11 novos funcionários estão trabalhando apenas no serviço de concessão de vistos no Brasil. São cinco que vieram dos Estados Unidos e outros seis emprestados de outras áreas do serviço diplomático, que trabalharão em mutirão até 15 de dezembro. Até o fim de 2009, o governo americano pretende mandar 13 diplomatas permanentes para o Brasil. "Mais de 90 dias para concessão de um visto é inaceitável", afirmou Sobel, ontem, em entrevista na embaixada, em Brasília. De acordo com ele, até o fim deste ano duas companhias aéreas americanas vão iniciar vôos diretos dos Estados Unidos - Miami e Atlanta - para Manaus, Salvador, Fortaleza e Recife. "Não podemos ter mais viagens, se não facilitamos o processo de vistos." Até setembro, a média nacional de espera para uma entrevista era de três meses. Desde o início do mutirão, a média caiu em todos os quatro postos para cerca de 60 dias. A meta é chegar a 30 dias. A média nacional de 60 dias é elevada pelo consulado em São Paulo, o mais procurado do País. O tempo de espera varia, até no mesmo dia. Na manhã de ontem, o prazo para obtenção de visto era de 56 dias na capital paulista, de 44 no Rio, de 9 em Brasília e de apenas 2 no Recife. À tarde, não havia previsão para São Paulo e a espera em Brasília caiu para 3 dias. Outras medidas também foram adotadas para facilitar a vida dos brasileiros que pretendem visitar os Estados Unidos. A principal delas foi transformar todo o País em apenas um "distrito consular" - ou seja, não há mais a obrigatoriedade de alguém que mora em Porto Alegre, por exemplo, fazer visto em São Paulo. Ou alguém de Minas ir ao Rio. Agora, o interessado verifica no site da embaixada qual posto consular tem a fila menor e pode agendar sua entrevista em qualquer um. Em alguns meses, a embaixada também pretende permitir o pagamento da taxa de obtenção do visto, de US$ 131, online. O advogado Evandro Barra Cordeiro, de Belo Horizonte, era um dos brasileiros que esperavam na fila ontem, em Brasília, com a entrevista agendada há dois meses. Ele e a família buscavam o direito de visitar a Disney no fim do mês. "Aqui é mais tranqüilo, mas é extremamente burocrático", afirmou. Apenas neste ano os consulados americanos agendaram 687 mil entrevistas de vistos. A cada ano, 90% de todas as entrevistas se transformam em vistos concedidos. Nos últimos três anos, o número de vistos no Brasil passou de 165,3 mil em 2004 para 426,2 mil, em 2007, um crescimento de 157,8%, o que motivou o mutirão. COMO CONSEGUIR O DOCUMENTO Entrevista: obrigatória, pode ser marcada a partir de agora em qualquer um dos quatro escritórios diplomáticos (consulado ou embaixada) americanos: São Paulo, Brasília, Rio ou Recife Espera: na página consular (www.visto-eua.com.br), o interessado pode verificar qual o período de espera para o agendamento nas quatro cidades. Sugere-se procurar o consulado pelo menos três meses antes da viagem Básico: o primeiro passo é pagar R$ 38. Essa taxa dá direito a uma senha para ter acesso a informações sobre os documentos necessários e para agendar a entrevista obrigatória Em família: uma mesma senha permite o agendamento para até cinco pessoas da mesma família, mas apenas uma vez. Em caso de remarcação, deve ser paga uma nova senha Taxa: depois do agendamento é preciso pagar pelo visto, que custa US$ 131. O pagamento pode ser feito, por enquanto, em qualquer agência do Citibank ou no próprio consulado, no dia da entrevista. O pagamento prévio permite processo mais rápido no consulado Menores: crianças de até 14 anos necessitam do visto, mas não precisam comparecer pessoalmente à entrevista. O documento é emitido junto com o dos pais Validade: até que a regra mude, o visto é válido por 5 anos e é necessário que o passaporte tenha pelo menos 6 meses de validade

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.