Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Vítima de agressor em creche de SC tinha paixão pela educação e fazia trabalho voluntário

'Ela era muito dedicada', conta amiga de Mirla Renner, de 20 anos, que morreu após ataque em creche da cidade de Saudades. Três crianças e uma outra professora também foram mortas por Fabiano Kipper Mai, de 18 anos

João Ker, O Estado de S.Paulo

04 de maio de 2021 | 21h15

Antes de trabalhar na creche Pró-Infância Aquarela, onde foi atacada e morta nesta terça-feira, 4, Mirla Renner, de 20 anos, fazia trabalho voluntário no Rotaract Club de Saudades, em Santa Catarina, onde participou de campanhas pela doação de sangue, sendo ela mesma uma das doadoras. A paixão pela educação era grande e, em 2019, ela trabalhava na Escola Municipal de Ensino Fundamental, onde se dedicava exclusivamente a uma aluna de 9 anos, portadora de necessidades especiais.

“Ela era muito dedicada, querida, meiga, estudiosa e toda delicada. Não consigo pensar em uma coisa ruim sobre ela”, conta a amiga Jamile Muller, de 32 anos. Ela conheceu Mila em 2019, quando ambas trabalhavam na escola de ensino fundamental. Filha única, a jovem era bem próxima à mãe, a quem se dedicava enquanto o pai viajava a trabalho. 

Jamile lembra que Mila ficou próxima da aluna que cuidava e, além de explicar todas as matérias para a criança, costumava pintar as unhas da estudante. Concursada, a professora estudava inglês à noite e estava solteira havia poucos meses. “Ela sempre me dizia que não tinha nascido pra trabalhar com escolas, que o que ela gostava mesmo era de bebês. Por isso que ela estava na creche, porque estava fazendo o que gostava”, conta.

Mirla foi uma das cinco pessoas mortas por Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, que invadiu a unidade na manhã desta terça-feira e atacou funcionários e crianças. Entre os adultos, Mirla e a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, foram as vítimas. Três crianças entre 6 meses e 2 anos também morreram. 

Mai permanece internado no Hospital Regional do Oeste em Chapecó, onde passou por uma cirurgia durante a tarde desta terça, após tentar tirar a própria vida. Ele é estudante e cursava o nono ano do ensino fundamental. Natural de Saudades, trabalhava como jovem aprendiz em uma indústria de confecções da cidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.