Vítima de homicídio tem 90% do corpo queimado

Um homem de identidade ainda não-confirmada morreu durante a madrugada com queimaduras em cerca de 90% de seu corpo. A polícia investiga o caso, pois, além da suspeita de que uma pessoa, ou um grupo, tenha ateado fogo à vítima, a autópsia confirmou que, pouco antes disso, ela sofreu traumatismo craniano. Ou seja, uma pancada na cabeça desnorteou o homem e facilitou a ação do incendiário. Segundo o delegado Sérgio Pereira, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), existe a suspeita de que a vítima seja Celestino Plácido Barbosa, de 43 anos, conhecido por ?Carioca? e que é um andarilho da região da estação rodoviária, onde foi encontrado em chamas. Um documento de Barbosa, parcialmente queimado, foi encontrado com o homem incendiado. Parentes de Barbosa foram avisados, em Ibiraci (MG), para o reconhecimento do corpo, que tinha duas tatuagens e que poderá facilitar a identificação. Se for Barbosa, a vítima já tem passagens pela polícia por furto, roubo a mão armada e homicídio. Há cerca de três anos, Barbosa teria contratado uma pessoa para matar o dono de uma retífica em Ribeirão Preto. O corpo em chamas estava a dois quarteirões do Pronto-Socorro, em frente à entrada do Centro Popular de Compras (CPC). Ele foi socorrido e, aparentemente embriagado, chegou consciente à Unidade de Emergência do Hospital das Clínicas, mas nada conseguiu falar e morreu pouco depois. A polícia investiga possíveis ameaças de morte contra Barbosa, feitas por um adolescente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.