Vítima e dois marginais morrem em assalto

"Morte a esclarecer" é o título da ocorrênciaregistrada no 27º DP ? Campo Belo, em que, durante o roubo à residência 1.690 da Av. Iraí, no bairro de Indianópolis, Zona Sul, nesta quinta-feira à noite, morreram com tiros a vítima, umaposentado de 61 anos, e dois dos três assaltantes. O tiroteio aconteceu na entrada da casa, antes da chegada da Rota - que apreendeu o terceiro assaltante, um adolescente e 17 anos, encaminhado à Febem.O casal aposentado João Antonio Cavaglieri e Maria Amália Ferraz Cavaglieri ? ambos de 61 anos ? chegava à própria residência, por volta de 19h30, em um Ford Mondeo. De um Gol prateadodesceram os marginais que entraram juntos na casa, portando dois revólveres de calibre 38 e um pistola 380. Dois dos criminosos ficaram na parte inferior do sobrado, dominando João, enquanto o outro subiu ao pavimento superior com Maria Amália, em busca de dinheiro e objetos de valor. Havia um cofre de segurança, mas estava aberto e vazio. Além de relógios de pulso e algumas bijuterias finas, nada mais encontrou. Aproveitando um momento de distração dos assaltantes, João acionou um alarme. O ruído, que soou na própria casa, além de alertar a vizinhança, possibilitando a chamada da polícia, revoltou os criminosos que arrastaram a vítima para fora. Desesperada, Maria ouviu vários estampidos e, aos sair para ver o que estava ocorrendo, viu o marido e dois criminosos caídos e o adolescente tentando socorrer um dos comparsas, baleado no peito. O outro estava ferido na cabeça e o aposentado também foi atingido por um tiro no peito.Quando a viatura da Rota surgiu, o ladrão de 17 anos abandonou o ferido e tentou fugir a pé. Cercado, não resistiu à prisão, apesar de estar armado com um revólver e com a pistola. A outraarma estava caída junto aos feridos. João morreu ao ser socorrido no Hospital São Paulo. A dupla de criminosos também, ao ser levada ao Pronto-Socorro do Hospital Sabóia, no Jabaquara. Foram identificados como sendo Alex da Silva Santos, de 22 anos, e Kleber Amaral dos Santos, de 18 anos. Para o delegado de plantão do 27º DP há várias hipóteses possíveis para o ocorrido. Por isso, optou por instaurar inquérito de "morte a esclarecer" e solicitou exames residuográficos das mão dos mortos e do menor apreendido, paracertificar-se sobre quais deles efetuaram os disparos.

Agencia Estado,

16 de janeiro de 2004 | 03h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.