Vítimas de acidente da Gol são enterradas em Aracaju e Manaus

O corpo do soldador Daniel de Oliveira Silva, de 25 anos, terceiro sergipano vítima do acidente com o Boeing 737-800 da Gol, no dia 29 de setembro, foi enterrado nesta quinta-feira, 12, no Cemitério Colina da Saudade, em Aracaju. Um microônibus e duas vans saíram da residência dos pais de Silva, no Conjunto Bugio, zona norte de Aracaju, em direção ao cemitério. A família, evangélica, prestou muitas homenagens ao rapaz. Durante o sepultamento, as pessoas vestiam camisas com a fotografia de Daniel. O pai não pôde comparecer ao enterro por motivo de trabalho. Assim como filho, o pai é soldador e a empresa em que trabalha não permitiu mais que ele aguardasse pela chegada do corpo. "A área onde atua, na soldagem de dutos, possui poucos profissionais", justificou Danielle de Oliveira Silva, irmã da vítima.O soldador era colega de trabalho de Rogério Barbosa da Silva, que também estava no vôo 1907. O corpo de Rogério foi enterrado na terça-feira, também no Cemitério Colina da Saudade. Na segunda, no mesmo local, foi sepultado outra vítima do acidente da Gol, Marcelo Eduardo Fontes Lopes, de 35 anos. ManausEm Manaus, foram sepultados os corpos da empresária Helen Garcia, de 37 anos, e de seu filho Pedro Henrique Garcia, de 3 anos, nesta quinta-feira, 12. Já são 15 as vítimas da queda do vôo 1907 da Gol enterradas em Manaus desde o último sábado. Há ainda a previsão do enterro de mais quatro pessoas residentes em Manaus que estavam no vôo até o fim desta semana. O corpo de Helen havia sido encontrado no Mato Grosso e cremado em Brasília há alguns dias, mas a família estava esperando que encontrassem o do garoto para que ambos fossem enterrados juntos no jazigo da família Garcia, no cemitério São João Batista, na manhã desta quinta. A família não permitiu o acesso de jornalistas ao enterro no qual compareceram o tio da empresária, o deputado federal Francisco Garcia (PP) e sua prima, a deputada federal recém-eleita Rebecca Garcia (PP).ResgateA Força Aérea Brasileira (FAB) encontrou na quarta-feira, 11, mais quatro corpos de vítimas do acidente com o Boeing da Gol sob as asas do avião e outro praticamente enterrado ao lado de uma trilha aberta pelos militares. Falta agora localizar quatro dos 154 passageiros do vôo 1907.O número exato de vítimas resgatadas, no entanto, só poderá ser consolidado pelo Instituto Médico Legal (IML) de Brasília após a identificação. Na terça-feira, 10, por exemplo, como não faz a identificação definitiva, a Aeronáutica contou como novo passageiro resgatado parte do corpo de uma pessoa que já havia sido identificada.O corpo encoberto pelo solo é de uma mulher que tem uma tatuagem na perna. Dois peritos continuam na Fazenda Jarinã, no município de Peixoto de Azevedo (MT), base de apoio da Aeronáutica, para trabalhar na pré-identificação das vítimas. Os corpos chegaram à fazenda por volta das 15h30, içados por um helicóptero H1-H. Menos de uma hora depois, o avião Búfalo decolou rumo a Brasília, provavelmente levando os corpos.Matéria atualizada às 16h10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.