DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO
DANIEL TEIXEIRA/ESTADAO

Vítimas de massacre em Manaus começam a ser sepultadas

As cerimônias de seis detentos que tiveram os corpos liberados foram realizadas nesta quarta

Marco Antônio Carvalho, Enviado especial

04 Janeiro 2017 | 15h32

MANAUS - Os sepultamentos das vítimas do massacre no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) começaram a ocorrer na manhã desta quarta-feira, 4. Sob uma leve chuva, as cerimônias de seis detentos que tiveram os corpos liberados foram realizadas no Cemitério Nossa Senhora Aparecida, no bairro Tarumã, zona oeste da capital amazonense.

O Instituto Médico Legal (IML) havia liberado dez corpos para retirada das famílias até a noite desta terça-feira, 3, e outros 29 já haviam sido identificados; no total, 56 presos foram assassinados no Compaj entre o domingo, 1, e a segunda-feira, 2, e outros quatro na unidade de Puraquequara, também em Manaus. Entre os sepultados nesta quarta, estavam Magaiwer Vieira Rodrigues, Paulo Henrique dos Santos Lagos e Arthur Gomes Peres Junior. 

De forma silenciosa, familiares e amigos se despediram dos entes em cerimônias que não demoraram mais que trinta minutos e deixaram o cemitério sem contato com a imprensa. Sobre as covas, uma coroa de flores com uma faixa onde se lia "homenagem do governo do Estado do Amazonas". Próximo de onde as vítimas foram enterradas, coveiros abriam nesta quarta outras dezenas de espaços para sepultamento, mas negaram ter relação com as cerimônias e vítimas do massacre e disseram se tratar de atividade de rotina. 

 

Mais conteúdo sobre:
MANAUS Iml Lagos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.