Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Vítimas de naufrágio são enterradas em SP

Três vítimas do naufrágio do barco Tona Galea, no sábado, em Cabo Frio (RJ), foram enterradas nesta segunda-feira de manhã em cidades do interior do Estado de São Paulo. O corpo da dona-de-casa Maria Cassetti Guerrato, de 63 anos, foi enterrado no Cemitério das Palmeiras, em Rio Claro.O caixão, que havia chegado de madrugada à cidade, permaneceu lacrado durante todo o tempo em que o corpo foi velado. Maria fazia um passeio na escuna Tona Galea juntamente com a filha Sílvia, de 42 anos, e o neto Eduardo, de 15, que moram em São Bernardo do Campo (SP) e sobreviveram ao naufrágio.Salva pelo próprio filho, Sílvia Guerrato permanecia internada nesta segunda à tarde, no Hospital Miguel Couto, no Rio de Janeiro, com um quadro grave de edema pulmonar. O adolescente está bem e se encontra na casa de familiares em Rio Claro. São José dos Campos e TaubatéO corpo de Helena Campelo de Souza, de 59 anos, foi enterrado no Cemitério São José dos Campos. Ela estava entre as 12 vítimas do naufrágio do Tona Galea. O corpo do marido de Helena, Alexandre Boueres, de 54 anos, continua desaparecido.Segundo a sobrinha do casal, Tânia Campelo, sua tia teria batido a cabeça quando a embarcação adernou. Outra vítima residente na região do Vale do Paraíba foi Maria Eugênia Grande Champ, de 56 anos, de Taubaté.Ela estava com o filho Régis Eduardo, de 25 anos, que sobreviveu. Régis disse que tudo aconteceu muito rápido e não houve tempo para socorrer a mãe. Maria Eugênia foi enterrada no Cemitério de Taubaté.

Agencia Estado,

21 de abril de 2003 | 16h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.